Wednesday, July 20, 2016

Mas como I don't give a fuck...

Diz que fui ao Super Bock Super Rock.
Diz que eu não gosto de cerveja - detesto mesmo cerveja, qualquer que ela seja. 
Diz que fui ao SBSR no primeiro dia. Queria ver uma lista impossível de concretizar devido às sobreposições de artistas - ainda assim é melhor ver por 50 euros 3 grandes concertos, do que pagar 50 euros, muitas vezes para ver apenas 1 e não raramente também, ser-se embarretado (porque o artista estava com maus fígados, porque o som estava uma merda, porque o público estava a jogar Pokemon Go durante o espectáculo .... já chegaremos a este tópico).

Diz que gostei muito de Temper Trap (embora estivesse sempre a confundir o nome com os Tame Impala).
Diz que não percebo a panca associada aos The National (definitivamente não é o meu tipo de som, nem a minha onda).
Diz que gosto mesmo de dançar e Disclosure portaram-se muito bem.

Não posso comentar mais nada, porque não vi mais nada. Ah, talvez Lucius tenha sido fixe - elas cantam muito bem, mas o som estava demasiado alto para uma Pala de Pav. Portugal demasiado vazia.

Mas posso garantir que o SBSR ainda não está num local devidamente correcto. O Parque das Nações não serve como espaço a um festival. Os palcos encavalitam-se de uma forma pouco acessível e há mais espaço para passar figurinos do que para ouvir, concretamente, a boa música que por lá vai passando. 

Não, não tenho fotos. Diz que agora, concertos é para serem realmente ouvidos e sentidos e não para serem vistos através do telemóvel (a não ser que seja para jogar Pokemon Go, calma!). 

No comments: