Saturday, April 25, 2009

"É que já não há pachorra para a miúda..."

A verdade da mentira não é apenas um filme com a Jamie Lee Curtis e Arnold Schwarzenegger. A verdade da mentira é o caso da Maddie Macaan e título se não estou em erro, do livro do ex-PJ Gonçalo Amaral. Acho que nunca falei verdadeiramente sobre o caso da menina desaparecida na Praia da Luz, no Algarve, há dois anos. E continuo sem grande vontade de falar, porque já foi muito debatido e banalizado. A única coisa que agradecia era que começassem a dar algum crédito à primeira investigação policial feita pelos portugueses, em vez de começarem a julgar o país pela falta de meios, de capacidades, de pessoas decentes para o a efectuarem. E depois que alguém me dissesse qual o poder que a família Macaan tem para ter sido recebida em flash pelo Santo Padre Católico, por terem o apoio directo do PM britânico, e agora, que passam dois anos, pela Oprah que por sua vez armada em cabra, recusou receber Gonçalo Amaral que explicaria a sua versão policia à la CSI dos factos criminais. Se querem a minha opinião, e esta vai contra a da editora do jornal gratuito Global, foram os pais, ou um deles, ou algum dos seus amigos, ou mesmo um acidente que foi escondido, os culpados. Caraças! Podiam admitir, seria muito mais agradável, seria melhor. Mas não, nós, como país perfeito que se gosta de vergar perante os outros, perante aqueles que nos dão esmolas e têm todo o direito, porque mesmo com uma crise mundial, conseguem ter mais dinheiro que alguma vez nós tivemos ou teremos, temos que ouvir, comer e calar, e ai que piemos sequer. Em resumo, deixei de ter paciência para isto. Para estes pais que estão sempre a procurar uma filha que eles sabem bem, melhor que ninguém até, que nunca irão encontrar, para um fundo monetário, o qual foi ficando cada vez mais rico porque muita gente importante lhe deu lucro, para o desprezo total que isto gerou para Portugal para as autoridades portuguesas e para a população da Praia da Luz que não tiveram culpa que uns pais tivessem deixado sozinhos três filhos, que os tivessem drogado, como aliás era costume, só para estarem sossegados num jantar entre amigos, com muitas garrafas de vinho a rolar. Só isto me enoja e me enraivece. Pelo menos nisto, e digo pelo menos porque tudo o resto é composto de uma cegueira tremenda, os portugueses começam a estar de acordo: a história da menina desaparecida foi e continua a estar muito mal contada.

1 comment:

São said...

Eu não onsigo perceber como é que este casal ainda está solto e com os gémeos à sua guarda! só mesmo porque são médicos e são poderosos! Ninguém sabe o que aconteceu ao certo. Mas uma coisa parece certa: ESTAVAM TRÊS CRIANÇAS SOZINHAS EM CASA, A MAIS VELHA COM MENOS DE 4 ANOS. Isso é crime de negligência, abandono, e, consequantemente, exposição ao perigo. Porque é que, pelo menos por este crime, estes pais não foram julgados????? Não está provado isto???? é o que eles próprios dizem, não é?

Se em vez de dois médicos ingleses fossem a Ialina e o Jacinto ali da Damaia já estavam sem o gémeos...pelo menos...