Wednesday, February 29, 2012

Trilogia Millenium

.... alguém que me explique porque razão a maioria das pessoas considera a trilogia Millenium (dos livros), muito "violenta". É que violento, para mim, é o livro "Comboio para Budapeste" ou "Se isto é um homem". Por outro lado, um livro que acho simplesmente autêntico e triste, e que li há pouco tempo, será o "Sunset Park". Agora a trilogia Millenium é das coisas mais banais que existem. E a violência, por vezes gráfica, que se assistiu no filme, não é chocante, uma vez que estamos mais habituados a ver daquilo noutros filmes que são considerados para maiores de 12 anos. Já quanto à história em si... deixem-me que vos diga, não é nada de especial. OK, admito que fui levada pelo rebanho, principalmente porque estava com imensa vontade de ver a película, mas, como a páginas tantas o filme se afasta tanto do que está escrito, a ideia com que eu fico é aterradoramente diferente. Era como se fossem dois contextos diferentes. Contudo valeu a pena só pelas interpretações e pelo cenário e paisagem. Nada como IKEA e ambientes claros, para percebermos como estamos num universo "clean".

Wednesday, February 15, 2012

Declaração de rendimentos a Segurança Social

Isto de sabermos à meia noite e meia que teríamos de preencher não sei o quê, para o próprio dia, não é lá muito boa ideia. Os senhores estão muito desesperados, bem sei, mas isto assim, não se faz, porque não há tempo das pessoas tomarem conhecimento, saberem se estão ou não isentas de apresentarem seja o que for. Acontece que após vários telefonemas para o Segurança Social Directa, e ter falado com 2 pessoas (uma para informações, outra para confirmar essas mesmas informações), percebi que, felizmente, não tinha de preencher nada. Atenção, acho bem que façam este tipo de acções, principalmente porque é desta forma que muitas empresas terão ou de pagar ou de contratar pessoal cujos rendimentos anuais provenham 80% dessa instituição. Por outro lado, a forma como passam a ter conhecimento de todos os trabalhos precários e do valor dos mesmos, que nós possamos fazer, é assustador e, mesmo que façam o cruzamento de dados com as Finanças não deixa de ser perigoso pensarmos que podemos ser sancionados aos valores auferidos. E deram a notícia quase de véspera, avisando desde logo que atrasos na data de entrega, seriam devidamente punidos. Bom... como exemplos de isenção refere-se:
  • Isenção de 12 meses após a abertura de actividade nas Finanças ou até determinado valor auferido;
  • Isenção por acumulação de trabalho, ou seja, desde que um dos trabalhos esteja enquadrado num regime de protecção social (e, como tal, haja descontos para a Segurança Social), e o outro possa ser a recibos verdes;
  • Isenção por acumulação com reforma ou pensão por invalidez, outros... (às pensões e reformas também são deduzidos mensalmente os valores de descontos para a Segurança Social).
Todos os demais casos, terão de apresentar a totalidade do valor recebido pela(s) entidade(s) empregadora(s), sem incluir o valor de IVA, quando o mesmo ocorre. Felizmente o prazo foi hoje alargado até 29 de Fevereiro.

Cláudia admite estar farta...

... da constante culpabilização dos governantes a tudo o que de mau (ou bom) se vai passando no país. Vejamos exemplo corriqueiros: não chove? a culpa é do Governo; os hambúrgueres do Mac são feitos de minhocas? a culpa é do Governo; vão furar um poço de pesquisa de hidrocarbonetos? a culpa é do governo. Geralmente esta responsabilização é, quase sempre, monetária. Passo a explicar, nestes casos (e noutros) o governo, ou dirigentes políticos, sejam lá de que cor forem, o que querem, no final do dia, é embolsar algum ou gastar algum que não lhes pertence.. logo, tudo o que possa ocorrer de positivo ou negativo, está por conta deles, devido às razões anteriormente apresentadas e, honestamente, se por um lado é verdade, a generalização como argumento nacional a tudo o que vem escrito nas notícias começa a fazer-me alguma urticaria.

Wednesday, February 08, 2012

Bela e sábia...

Cada macaco no seu galho...

Lá por sermos geólogos, não sabemos TUDO sobre as diferentes áreas de Geologia. Ou seja, lá porque eu seja geóloga, não percebo quase nada de perímetros de segurança para a captura de águas subterrâneas ou, percebo o básico a intermédio de recursos minerais metálicos. Quando aparecem pessoas (excelentes dentro da sua especialização técnica e académica) a falarem sobre petróleo e gás, é natural que me sinta completamente fora de mim. Como se de repente todos tivessem descoberto o pote de ouro no outro lado do arco-íris e percebessem imenso, para lá do referencial, sobre o assunto e, como tal, sentem-se na posse das faculdades necessárias para darem entrevistas, etc.. A mim dá-me náuseas e pele de galinha, mas seria de prever que todos, agora, e durante os próximos tempos, fiquem com o rabinho virado para os hidrocarbonetos.