Monday, February 28, 2011

De outra forma....

Adoro o facto de alguns blogs que eu seguia religiosamente passarem a não permitir visualizações a não ser a membros convidados. Uma espécie de lista exclusiva para blog-readears escolhidos a dedo pelos donos do blog em questão. Pois, como eu não sou assim, porque até à data desconheço que tenha algum blog-hater, tenho este espaço aberto a todos... desde o spam até aos desconhecidos, desde que não anónimos. Mas tenho pena de que realmente seja considerada um elemento reles no mundo Blogger ao ponto de não me incluírem nessas "listas especiais". Tenho... até porque alguns desses blogs são dignos de registo, de nota e de prémios. Mas tudo bem.

Porque parte da minha vida é feita de momentos musicais entre amigos...

Foto de CPS
Em primeiro lugar destaco os Tambor, conhecimento de longa data, 1º concerto no Porto Santo e um viva à simplicidade que não é raro encontrar. Estiveram no Cinema São Jorge no dia 23 de Fevereiro para provarem que mesmo no cenário mais intimista que se possa imaginar, elaborado para umas 50 pessoas, se tanto, se consegue fazer um concerto brutalíssimo, cheio de classe e sonoridades que passam desde o pop ao rock e mais alternativo, não esquecendo sequer de piscar o olho a sons que faziam qualquer um dançar tal como se de uma discoteca se tratasse.
Em segundo lugar, o projecto Ar de Rock, bem mais recente, que na passada sexta realizaram um dos mais festivaleiros concertos que me lembro ter visto. Um regresso ao passado na música portuguesa, com a qual cresci e com a qual fui aplicando os meus dotes vocais (outros tempos, outras andanças), num tributo às grandes e mais pequenas bandas e seus elementos, desde os anos 80 até aos dias de hoje. Se bem que sou imensamente suspeita, adorei cada momento durante e pós-concerto, considerando que há já muito não me sentia tão leve.
E sim, se calhar com isto, vou regressar durante uns tempos às origens nacionais, para me recordar de que em tempos se faziam grandes canções que ao contrário de hoje, não eram para mastigar e deitar fora, como uma "Chiclete".

Wednesday, February 23, 2011

ok... CHEGA, BASTA.... ESTOU FARTA DISTO!

Ora bem...

Estou ansiosa? Sim. Estou (ligeiramente) preocupada? Também. Vou deixar de viver a minha vida por isso? NÃO! (Até porque estou farta que me digam que tenho de relaxar mais e deixar a vida correr).

Thursday, February 17, 2011

Não seria simpático ir hoje comprar uma fatia de bolo brigadeiro porque estou a necessitar de algum sugar in my bowl? Sim... acho que sim!

Monday, February 14, 2011

Se calhar este não é o melhor dia mas...

... vou-te arrancar a partir deste momento de dentro de mim, antes que mines tudo aquilo que ainda está saudável e é puro. Não foste a bem, irás a mal. De qualquer forma, desculpa ter-te arrastado para esta situação insustentável a que a minha vida chegou. Só quero mesmo que sejas feliz com ela. E espero nunca vir a saber que outro alguém estragou isso. (Muito menos saber que esse alguém poderia ser EU).

Friday, February 11, 2011

A Bo Derek (ou Mary Cathleen Collins) é uma bitx!

É linda, continua com um corpo de arrasar, as rugas que (finalmente) tem, só lhe dão mais charme, se fez qualquer plástica, não parece pois a pele dela continua na mesma, a cara, é a mesma de há 30 anos e, após 28 anos de um casamento apaixonado com John Derek, cerca de 30 anos mais velho que ela e 5 de luto, desde que ele faleceu, namora há 8 com o John Corbett (aquele jeitosão do Sexo e a Cidade e As Taras de Tara). Opá, é uma inveja saudável que eu tenho. Adoro a mulher... é uma DEUSA! E felizmente sempre foi muito low-profile, o que me agrada nas celebridades de Hollywood (e namora com o John... o que é um bónus!). I like very much happy couples!
PS- A quem pensar que eles têm uma diferença muito grande de idades, desengane-se: Bo Derek conta com 54 e o John com 49... how cool is that?

Thursday, February 10, 2011

- Então, que achaste dele?
- Achei que sim senhora, tu estás lá.....
- A sério?
- A sério! (pisca o olho) Achei também outra coisa... um detalhe apenas e talvez.
- O quê? (ânsia, ânsia).
- Casado... Excelente pessoa, mas ca-sa-do.
Engraçado o estado em que se fica após se terem tomado certas atitudes. O facto de sabermos previamente qual o resultado dá-nos uma paz que, antes de fazermos o que quer que seja, não sentíamos.

Coisas#2

Se as greves não fossem para incomodar.... não seriam realizadas em primeiro lugar, não acham? Dizer que "ah e tal, fazem greve mas não informam e somos nós, os utilizadores dos transportes, quem paga a factura.." comigo não pega. Hoje vim de comboio, no último que havia no horário da manhã. Vinha cheio, sobrelotado, mas chegámos todos vivos a Lisboa. Queixarem-se devido ao Direito à Greve é estúpido e imoral quase, nos dias que correm. Não queriam ser incomodados? Tirassem o dia de férias. Olha que porra!

Coisas

E depois temos os transportes para os doentes que não se podem deslocar para hospitais/ centro de saúde/ centro de reabilitação, que antes eram comparticipados parcial ou totalmente pelo Estado, a serem pagos na íntegra pelos utentes e o escândalo dos alunos universitários terem de reembolsar o Estado pelas propinas pagas antes de dia 1 de Janeiro de 2011. Muitos destes alunos já desistiram de estudar. Mas verdade seja dita... estudar para quê? Para serem mais uns dos muitos licenciados sem futuro em Portugal? Se é para serem caixas de supermercado, acho que o 12º ano ainda chega. (Tenho dias em que penso encostar uma série de pessoas a uma parede e com uma espingarda ou metralhadora desatar aos tiros...)

FMI e Portugal

A dívida portuguesa não pára de aumentar e só vejo os comentadores políticos a dizerem que não é com falinhas mansas de propaganda que a mesma vai diminuir. Sabemos de antemão que a mesma só diminuirá quando Portugal decidir deixar entrar e avançar o FMI. O Fundo Monetário Internacional já cá esteve por duas vezes e, realmente o país não foi ao fundo e todos os portugueses sobreviveram. Mas os tempos eram outros, a moeda era outra (era nossa, não era única para toda a CEE - naquela altura chamava-se CEE), era tudo relativamente mais simples. Agora eu pergunto a esses comentadores (os quais não irão sentir os efeitos da crises nos seus bolsos ou orçamentos familiares) o que acham que deve ser a solução. É que se não apresentam soluções depois de dizerem aquilo que me parece óbvio, o melhor é estarem calados.

Natalie Portman

E será esta a grande senhora do ano no que toca à indústria cinematográfica. Em exibição: Cisne Negro, considerado pelos não-críticos profissionais, mas sim pelas pessoas que vão ver cinema pelo prazer que lhes dá tal acto e não por obrigação, um dos melhores dos últimos tempos e Sexo sem Compromisso, uma comédia muito suave, adequada para o Dia de S. Valentim, ou simplesmente para quem vai para tia (eu!).

Wednesday, February 09, 2011

Agora escrevendo de uma forma mais séria... a realidade é esta: fiz anos e a todos os dias que passam, fico um dia mais velha, supostamente mais sábia, supostamente mais tolerante, supostamente mais adulta e supostamente mais Mulher. E foi um ano difícil de resistir, embora muito rápido a passar. E sobrevivi ao que estava à espera e a outras mudanças com as quais não contava. E agora, recém-chegada ao novo ano, encontro-me novamente em mares revoltos, pior que tudo, sabendo que me posso afogar e até gostando da sensação de naufrágio constante, lutando por me manter à tona de água só pelo prazer masoquista que isso me dá. E a minha consciência moral, que deveria estar já melhor preparada para estes golpes que de quando em vez me assolam o espírito, está a um passo do precipício, gritando aos mares e oceanos que eu devo ir em frente, sem grandes medos e, sem nada a perder. Sim, eu posso não perder grande coisa, mas também me posso perder. E perder-me será deveras o mais assustador. Afogar-me será impensável embora muito tentador. O que eu dava por um momento de meditação à beira-mar, de certeza que viria de lá com a resposta certa à decisão que devo tomar. Mas até lá, vou baloiçando ora suavemente, ora com mais força perante a potência das ondas, esperando não escorregar e cair de vez.

Monday, February 07, 2011

Adivinha...

Fiz a mesma idade que tinham o Pedro, o Tiago e o Nuno, quando eu os conheci. Que idade é essa?

Thursday, February 03, 2011

"Dar à língua" ou seja, falar demais.. ou falar por si só ganhou um novo significado na minha vida. Negativo ou simplesmente, triste.. tristonho, vá.