Monday, March 14, 2011

E agora?

O Povo foi para a rua, qual 1º de Maio ou pós-25 de Abril. Mas mudou alguma coisa? Sim, manifestaram-se, disseram o que estava errado e até alguns apresentaram algumas propostas. As minhas são de base e básicas. Tudo está errado em Portugal... a começar pela nossa pirâmide demográfica que se está a parecer cada vez mais com um triângulo invertido. As terras deveriam ser novamente aproveitadas, a escolaridade obrigatória deveria ser "como no meu tempo", sem passagens de ano avulsas só para ficarmos bem na estatística, entre outras coisas muito pequeninas aos olhos de muitos. Contudo já ouvi, li e vi coisas que me deixaram com os cabelos em pé. "100 000 pessoas na rua? Que horror! A culpa é do Cavaco com aquele discurso a puxar à mobilização nacional...", "ai, mas afinal a manifestação serviu para quê? Que chatice... a tarde esteve tão bonita e não se podia passear em condições pela cidade. Além disso, as coisas vão piorar, não percebo porque razão houve esta confusão toda..." - dito de quem, dias antes, tinha jurado a pés juntos que iria, que participaria, que realmente tínhamos chegado a uma situação deplorável em que já não dava mais para estarmos calados. Não! O povo, a geração à rasca e, pelo que pude verificar na primeira pessoa, todas as outras gerações, pais, avós e até netos, vieram porque isto realmente não pode continuar assim (mas vai continuar, é uma verdade, é certo e qualquer outro partido que vá para o poleiro não vai salvar ou resolver nada), e pelo menos que demonstremos a nossa indignação, principalmente quando na madrugada anterior é um PM completamente catatónico que nos avisa (porque, sei lá, se sentiu "obrigado", porque por ele nem sequer tínhamos direito a saber de nada, afinal é um assunto de "governação" e portanto não se deve passar "cavaco" a ninguém) de mais um pacote de medidas agressivas e extremas porque precisamos de parecer bem ao Sr. Sarkozy e à feiticeira Merkel e porque temos algures um poço sem fundo que precisa de ser coberto rapidamente antes que os espertalhões de Bruxelas o descubram. Mas nós, o Povo, continuaremos a aguentar a pressão dos mercados internacionais e todas estas alterações ao orçamento de Estado, os aumentos de IVA e descontos para o IRS, os cortes nas pensões e o congelamentos das mesmas juntamente aos salários. Contudo é bom que se fixem nisto: não somos parvos e não andamos a dormir.
Por agora ficamos com mais um aumento nos combustíveis, com a paralisação dos camionistas, e com a redução de IVA para o golfe? Mas.... ahn?? Golfe com redução de IVA?

No comments: