Ando por aqui...

Bom, tudo na vida tem o seu tempo e o seu espaço. O mIRC, o Hi5, o Twitter, hoje o Youtube, futuramente o Facebook, e quiçá, outros... 
Não larguei o Blog. Mas admito que a minha vida tenha mudado e a vontade ou o tempo que gastaria a escrever aqui, aproveito para outras coisas. E continuo a escrever, mas simplesmente noutro local. E sim, voltei a estar uns tempos lá fora que só me voltaram a fazer bem, e a crescer mais e a aprender a ver situações e a reconhecer e conhecer pessoas que me circulam e rodeiam no dia a dia. 
Então, o Blog tem estado sossegado, à espera de que eu o reabilite à sua condição de despejo de emoções, indignações, criatividades do dia a dia. Mas acontece que eu deixei de ter essa necessidade de partilha. E só me faz bem. Partilho o meu presente com poucos amigos, com pessoas que me são queridas, que eu amo e que me amam também. E basta. 
Não quer dizer que não retorne. Claro que sim. A seu tempo. Com vontade de escrever coisas. De vos mostrar coisas. Porque isto é mais um vidro transparente para voces me conhecerem. Ou para verem coisinhas minhas. Detalhes que me fazem sentir bem, realizada... 
Até breve.

Comments

Konigvs said…
Muitos 'bloggers' fizeram o mesmo, e com o advento do facebook e afins debandaram. Eu acho que fizeram mal. Mas é só a minha opinião, cada um responde por si. Ironicamente houve uma explosão de novos blogues, de merdas e mais merdas fúteis, porque toda a gente achou que ia ficar rica a escrever sobre roupa e outras coisas supérfluas.
Eu acho que um blogue é quase um "caderno de apontar a vida" (como a Clara fazia na Casa dos Espíritos). É uma espécie de diário. Eu estou aqui, na cama, doente, a vascular o teu diário, e mesmo alguém que te é desconhecido como eu, consegue perceber as diferentes fases que foste passando ao longo dos tempos. E eu acho que isso é interessante. Está aqui tudo, pedaços da nossa vida. Um dia destes, eu vou pegar nas coisitas que escrevi e que me são mais queridas e vou imprimir e fazer um caderno, o caderno do blogue, até porque, estupidamente, não tenho nada salvaguardado!
Clau said…
Se aquilo que eu vi é de tua autoria, então é meio caminho andado para um futuro livro de memoirs...

Popular posts from this blog

Portugal de Culpas

Como se tornarem numa real bestinha? Perguntem a Gustavo Santos.