Posts

Showing posts from March, 2011

E no meio de toda esta convulsão política nacional...

... convém lembrar que existem 4 centrais nucleares no Japão em risco e que, numa delas, já se deram 2 explosões não-controladas nos núcleos de refrigeração. Estaremos perante um novo Chernobyl mas 4 vezes mais devastador? E se for esse o caso, quais os riscos não só para o Japão e países próximos, como para o resto do Mundo?

E agora?

Image
O Povo foi para a rua, qual 1º de Maio ou pós-25 de Abril. Mas mudou alguma coisa? Sim, manifestaram-se, disseram o que estava errado e até alguns apresentaram algumas propostas. As minhas são de base e básicas. Tudo está errado em Portugal... a começar pela nossa pirâmide demográfica que se está a parecer cada vez mais com um triângulo invertido. As terras deveriam ser novamente aproveitadas, a escolaridade obrigatória deveria ser "como no meu tempo", sem passagens de ano avulsas só para ficarmos bem na estatística, entre outras coisas muito pequeninas aos olhos de muitos. Contudo já ouvi, li e vi coisas que me deixaram com os cabelos em pé. "100 000 pessoas na rua? Que horror! A culpa é do Cavaco com aquele discurso a puxar à mobilização nacional...", "ai, mas afinal a manifestação serviu para quê? Que chatice... a tarde esteve tão bonita e não se podia passear em condições pela cidade. Além disso, as coisas vão piorar, não percebo porque razão houve esta co…
E depois, de quando em vez, temos estas "pequenas" demonstrações do Poder que a Natureza tem, só para nos colocarmos no nosso devido lugar enquanto espécie animal, dita de "racional".

Texas - Put Your Arms Around Me (Live At Torino 97)

Image

Só hoje é que percebi....

mas os homens são um bocado mariquinhas, não são? E quando apanham uma tipa ingénua que nunca tinha visto tal coisa, ainda conseguem ser mais maricas do que o costume ao ponto de nos porem numa pilha de nervos... Apre!

Downgrade

Li agora que Portugal pode atravessar uma grave crise de carência alimentar, uma vez que os preços dos alimentos estão a ficar cada vez mais caros. No tempo dos nossos pais e avós, fome era uma palavra comum, devido às guerras, aos pós-guerras, à pobreza geral. No pós-25 de Abril, os campos outrora trabalhados pelo POVO, deixaram de produzir. Uma coisa é a "terra a quem a trabalha" outra é, esses trabalhadores saberem lidar com as burocracias e dinheiros. Hoje em dia, os agricultores vivem (muitos deles, mas não todos) à custa dos subsídios que, meus caros, irão acabar, se é que já não acabaram. E nós, geração enrascada que, segundo alguns, não gosta de sujar as unhas com trabalho, iremos começar a passar fome ou pelo menos a ter algumas omissões alimentares. É fantástico ouvir e ler comentadores afirmarem que a culpa, para além desta cambada de jovens enrascados, claro, é de quem nos educou e criou, porque não nos chamaram a atenção de que um dia as coisas iriam mudar... pa…

Upgrade

Image
De "geração rasca" passámos a "geração à rasca" (uns mais que outros digo desde já, uma vez que conheço os que realmente lutam e não conseguem e aqueles que cruzam os braços e deixam-se ficar e ainda assim lamentam-se). De país analfabeto e iletrado passámos a ser um dos países com maiores taxas de alfabetização, sem contar com o cada vez mais crescente número de jovens com licenciaturas, mestrados, doutoramentos e pós-graduações. E agora? O que é Portugal faz por nós e nós fazemos por Portugal? Não sei a resposta, lamento, mas quando fiz a minha licenciatura, na mesma apenas aprendi a perceber como funcionava o ciclo litológico ao pormenor e a saber quase todos os grandes pequenos processos que lavavam as rochas a serem o que são e como são e tal. Ninguém me ensinou, porque não tive nenhuma disciplina nesse sentido, a forma de resgatar o meu país de nascença de uma catástrofe sem limites. Mas sei que dia 12 de Março poderá ser o início de alguma coisa, nova, boa,…

Vampira de Luz

Sim, sou uma vampira, uma autêntica sugadoura de energias e boas vibrações, de tal forma que quando fiz reiki pela primeira vez cansei a minha terapeuta. O mesmo aconteceu há dias. A energia e luz que um GRANDE AMIGO meu tinha estampada no rosto, no corpo, na voz, foi para mim um carregador de baterias, uma imensa alegria e emoção, um imenso estado de leveza e simplicidade. Nunca pensei sentir-me tão feliz com a felicidade de outra pessoa, felicidade essa visível e palpável. Uma coisa que, presumo, só quem já esteve muito lá no fundo é que dá o devido valor e consegue sentir. Portanto sempre que alguma coisa me faça sentir mais cansada ou triste ou aborrecida, faço o favor de parar o que estou a fazer, respiro fundo e relembro aquela aura luminosa. E logo isso me dá um sensação de alívio e de tranquilidade. E é claro que me arranca um sorriso do rosto. Espero não estar a ser egoísta...

Houve Oscares?

É que nem dei conta....

A dúvida existencial...

Durante o tempo em que estagiei um dos problemas que eu tinha era saber que durante 12 meses o que eu ganhava seria um valor bruto, pago a recibo verde mas que não me dava qualquer benefício fiscal nem contribuía para os cofres do Estado via Segurança Social. Por um lado ainda bem, pois se os estagiários (remunerados!!! e com isso tive sorte!) não ganham muito, então os descontos para a S.S. seriam terríveis ao ponto de quase não levarmos nenhum para casa, por outro lado, caso nos acontecesse algum azar, não teríamos a oportunidade de iniciar os nossos descontos para uma futura reforma, nem tínhamos direito a baixa médica, nem nada. Pois bem, a partir de hoje todo e qualquer estagiário nacional irá começar a descontar para a Segurança Social, sendo taxados conforme a sua remuneração e com isto digo que se existem remunerações de estágio baixas, conforme as empresas, especificamente as privadas, nas públicas, o estágio de 900 euros é "muito bem" taxado... e possivelmente a es…