Desisto. Com pena, é certo, mas estar à espera do que não irá acontecer por vários motivos e razões, não é justo. Não é justo para mim e muito menos para ti, que de nada sabes e que nada saberás. (Nem tinhas que saber porque eu não queria/quis). Assim pode ser que a minha alma, finalmente, fique em Paz.

Comments

Popular posts from this blog

Portugal de Culpas

Como se tornarem numa real bestinha? Perguntem a Gustavo Santos.