Friday, December 31, 2010

Hoje, dia 31 de Dezembro, tenho a plena consciência de que o tempo realmente passa a correr. Não sei se é só de mim, se é pelo facto de, quando estamos com a vida mais preenchida parecer que tudo é muito rápido e passa muito depressa. Talvez assim seja, mas desconfio que para as pessoas que infelizmente ou felizmente não têm assim tanta coisa a encher-lhes a vida, também pensem de igual forma. É assim que eu revejo os últimos 365 dias de 2010, num flashback, em meio minuto. Tudo aquilo que me aconteceu que foi mais ou menos importante, que me fez sobretudo crescer e mostrar o que eu tenho de melhor, o que eu tenho de pior, de negro e mau, e o que eu tenho seguramente de aperfeiçoar, bem como aquilo que tenho de aprender a valorizar mais em mim. Não seria possível sem um sem número de acontecimentos e experiências marcantes, tanto a nível pessoal, como profissional e, ao longo do ano, foram vários os momentos e as vezes em que agradeci por aqui, ou (im)pessoalmente a todos aqueles que contribuiram para este crescimento necessário. Mas ganhei elevação de espírito. Sei melhor aquilo que quero e aquilo que não quero para mim, sei o que gostaria de fazer, mesmo que possa não ser realizável a médio ou longo prazo e, mais importante que tudo, aprendi finalmente a ver além da neblina e do cinzento. Se calhar mais vale desprendermo-nos um pouco das coisas que nos prendem a vontade de sermos um bocadinho mais felizes, mesmo que essa felicidade seja apenas durante um concerto, ou durante o tempo em que lemos um livro ou vemos um filme. Devemos ter sempre algo que nos dê algum prazer, porque essencialmente esse "prazer" não passa de paz de espírito, tantas vezes necessária para nos ajudar a, lá está, ver a luz para além da bruma.
Desejo que 2011 continue a ser um tempo de evolução, mesmo com tudo o que a partir de amanhã já nos é garantido. Mas, e aqui serei egoísta, espero que a minha vida se defina segundo o caminho do Bem e da Luz, de forma a não cometer os mesmos erros que já cometi. Até desejaria um "break a leg" a todos, mas, (lol), mediante o facto de estar hoje a fazer um ano que o mesmo aconteceu literalmente à minha mãe, prefiro que passem esta noite na tranquilidade do lar e, por favor, não se ponham em cima, nem de bancos, nem cadeiras.

Thursday, December 30, 2010

Não lhe bastavam duas...

Não, nãããooooooo, tinham mesmo de ser três vezes. Três... e com isto acredito piamente que eu tenha "ido à vida"...

... a minha roupa anda a ser comida pela traça.

E à pala dessa brincadeira tive de ir comprar uma camisola à hora de almoço. 28 euros... que poderiam ter ido para um livro ou para o LOUD que tanto queria. Ou para o Artur, por exemplo. Agora? Agora espero mais um mês e a camisola traçada vai ser cosida! (Z de cozinha e S de coser!) E tenho de gastar dinheiro (que aquela merdalhice não é barata) com anti-traça que não seja naftalina, para não acontecer como há dias em que ia tendo um colapso no comboio porque a senhora que estava sentada ao meu lado devia ter o seu casaco de inverno bem protegido com um enfartamento de bolinhas que nunca mais terminava.

Wednesday, December 29, 2010

Se não me sais da cabeça chamo a polícia, a protecção civil, os bombeiros, o INEM! Chamo qualquer agente que me possa libertar de ti, da tua imagem, do teu sorriso, do raio das fotografias minhas e das outras. Eu é que deveria ter tirado aquela imagem, capturando-te no "nosso" tempo; quantos dias imaginei fazê-lo, mesmo sabendo que nunca iria acontecer? Ou será que poderá acontecer? Para mim são os melhores retratos, aquelas tiradas nos momentos antes do outro acordar... basicamente quando estamos no nosso momento mais íntimo de repouso absoluto e tranquilo. Representa aquilo que é mais verdadeiro e real em nós, o momento em que estamos a dormir, segundos antes de abrirmos os olhos. Mas quero-te agora longe (perto), quero que me deixes sossegada durante uns tempos. Quero viver a minha vida e esta altura que atravesso em Paz de espírito, renovada para um Novo Ano de Luz... e se estiveres no meu pensamento quando tocarem as 12 badaladas, tenho medo do que isso possa significar. Portanto eu procuro-te mas não te quero encontrar, quero falar contigo, mas não te quero ouvir.

Já comprei...

Ontem, à tarde... depois de ter ido a lojas onde "supostamente" os teriam à venda mas infelizmente "esgotaram...". Assim sendo, atirei-me de cabeça à loja de chineses mais próxima (Moda de Roma, na Av. Roma, quase em frente à estação de comboios) e adquiri pelo simpático valor de 3.50 euros e meio, uns protectores contra o frio para as minhas orelhinhas que são um amor. Castanhos escuros, fofinhos, quentinhos! Epá, que bem se está com aquilo.
Porque raio é que insistes em permanecer dentro da minha cabeça quando eu quero que saias JÁ E IMEDIATAMENTE dela?? (Não, não estou a falar nem de dores de cabeça, nem do Tico e Teco, nem de inteligência).

Tuesday, December 28, 2010

Passei o Natal a dormir, com uma crise de identidade daquelas devido ao momento profissional que estou a atravessar. Não é fácil meus caros, estarem à espera de saber se sim ou se não, tendo contudo a noção e a confirmação de que, até fim do mês terão de fazer uma apresentação final sobre um trabalho que têm vindo a desenvolver desde o Verão... Primeiro a matutar, depois a escrever (muito), depois a interpretar e depois juntar as peças do puzzle (as duas últimas fases não estão deveras concretizadas). Mas tenho ideias de trabalho para o futuro, caso o mesmo me sorria (espero que sim, convém MESMO que SIM!). Ah! E não tive prendas. Não considero que a aquisição de um CD (por 5 euros) que iria comprar de qualquer forma seja considerado prenda e estou muito inclinada em oferecer como prenda de Natal a uma amiga um livro que adquiri na mesma altura. Mas preciso mesmo de comprar algumas coisas: uns protectores de ouvidos ou "ear muffs". Pá... estou-me a borrifar para aquilo que aqueles que vivem lá fora dizem, em Lisboa faz frio e eu TENHO FRIO e as minhas orelhas e ouvidos queixam-se do FRIO que por cá também faz!!! E eu quero uma porra daquelas, porque deve ser fofinha e acima de tudo QUENTE! E como agora estamos em saldos, presumo que seja uma boa ideia. Afinal para a Primavera ainda faltam uns 80 dias pelo menos e acredito que não passemos esse espaço temportal com temperaturas amenas de 15 a 17 graus.

E eu a pensar que seria a única com fel a correr-me pelas veias..

...verifico agora que há muito mais gente assim. Bam-hajam!

Desejos para.... "um futuro"

Quando decidir finalmente que até (afinal) quero ser mãe, irei adoptar um bebé (ou dois) do Refúgio Aboim e Ascenção. Alguém por aí terá visto a reportagem de Natal que passou há dias num qualquer canal português? Pois.. se tivessem visto com olhos de ver percebiam do que estou a falar.

Thursday, December 23, 2010

Não ando com vontadinha nenhuma para o espírito natalício.

Contudo aproveitei a minha hora de almoço para ir ao cabeleireiro. Isto porque amanhã é vésperas de e eu gostava de ter o cabelo esticado, que me fica sempre bem. Em contrapartida tenho de pensar seriamente em iniciar as pinturas que são para oferecer (ainda) este ano civil. E para a semana inicia-se a loucura de Portugal e mais não digo por causa da minha cláusula de confidencialidade com a empresa. Parece-me contudo que amanhã irei fazer limpezas... Pois, bem me parecia que era necessário fazer algo.

Wednesday, December 22, 2010

Vésperas de Natal and so what?

Dia 31 de Dezembro termina o meu contrato com a empresa que me acolheu para o part-time: a PT Comunicações. Sim, essa mesmo, a do Zeinal. Sim, essa mesmo que tem lucros de milhões e pessoas, que deveriam estar atrás das grades, ainda por cá a passearem, ganhando outras tantas dezenas de milhar por mês. Sem fazerem um cu, diga-se de passagem. O máximo que eu ganhei aqui por mês foram 198 euros, acho eu.. mas se quiserem posso ir confirmar ali no livro de recibos verdes. Nunca chegou a 200 e, geralmente, com essa excepção, ronda entre os 140 aos 168 euros/mês. E querem voluntários. E se Deus quiser hão-de os ter e há-de ser muito giro. Obrigadinha por este ano e meio a darem-me graxa para me mandarem embora.
E em relação ao estágio, estou quase quase na altura de saber se fico ou não por lá. E com isto meus amigos é preciso começar a enviar CV's para outros locais, não se vá bater com os burrinhos no chão. Menos para empresas de limpezas. Essas não precisam de currículos, essas precisam de pessoal que saiba lavar escadas e isso, felizmente, eu sei fazer bem! (É claro que não estou a dizer que me venha embora, mas poderá acontecer). A diferença entre ambos os casos é que, no último, eu compreendo.. no 1º, nem por isso.

Thursday, December 16, 2010

At the end of the day it all resumes to this

Definitivamente eu nunca terei a estima necessária por mim mesma. Só desta forma posso explicar o motivo que me leva a sentir completamente embrutecida quando me comparo com outras pessoas. A ver se percebo que uma das razões que me levam a não ter tanto conhecimento como elas é, sem dúvida, a falta de idade e, com isso, a falta de experiência. Tudo o que tenho vivido e aprendido, ensinam-me e levam-me a crescer cada vez mais. Mas se de todas as vezes que estou à beira da pressão, preciso de um empurrão psicológico, como vai ser daqui a alguns (poucos) anos? Se bem que ainda sou muito "novinha", para os padrões da minha geração, caminhar apressadamente para os 30, implica já uma boa dose de auto-disciplina e auto-controle. Então porque me sinto ainda tão infantil?
Agradeço respostas. :)

Wednesday, December 15, 2010

Carlos Pinto Coelho (1944-2010)
Dizia o meu pai à minha mãe que, se alguma vez saísse da RTP, havias uma ou duas pessoas a quem daria um "murro nos cornos". Um deles era o Carlos. Acho que hoje esse murro terá sido dado e, se calhar, retribuído. Se calhar hoje, ficaram quites. Espero bem que sim.

Tuesday, December 14, 2010

Devaneios matinais

Acordei com ansias de te encontrar, os teus braços enrolados em mim como acontecia nas manhãs quentes de Verão. Dir-me-ias que tenho a Luz da cidade reflectida no meu olhar e que tudo o resto era uma dança de fogo e cores vivas, azul, verde, vermelho, amarelo.
Percebo agora que não estás perto sequer. Que os teus braços enrolam o corpo de outra pessoa, que a cidade está cinzenta e escura com o aproximar do Inverno, que o meu olhar é pardo e cansado de 1 ritmo diário frenético, sempre igual, repetido até à exaustão, durante a qual, quando chega, a minha mente se esquece de ti por longos momentos e eu volto a sentir alguma paz. Depois volta tudo ao início, à dor de te deixar ir, à dor de te teres de afastar de mim, porque tudo foi um momento perfeito. Não se voltará a repetir.

Friday, December 10, 2010

Os diários do Holocausto

Após ter lido Comboio para Budapeste e ter pensado que nunca mais iria voltar a pegar nesse título (e não irei mesmo, porque ainda me recordo bem de algumas passagens e continuam a dar-me volta à cabeça e estomago) li ontem num fôlego o Diário de Rutka, jovem adolescente judia e polaca que, durante alguns meses (desde 1942 a 43) e antes de ter sido deportada para Auschwitz onde foi imediatamente enfiada numa câmara de gás, escreveu algumas palavras sobre a sua vida, antes e depois da família ter sido empurrada para o gueto. A diferença entre Rutka e Anne Frank é mais que evidente. Embora Anne também fosse originária de uma família com posses, a sua educação nada tem a ver com a educação de Rutka, algo que é facilmente observável nos trechos que conseguiram ser traduzidos do diário da segunda. Rutka, com apenas 14 anos, tinha já os devaneios de uma jovem mulher a entrar na maturidade e, no mesmo parágrafo poderia escrever de uma forma bastante precisa a forma como viu um bebé ser atirado contra um poste de electricidade (tendo obviamente morrido...), como, logo a seguir, falar dos rapazes da sua vida. Eu fiquei fascinada com o grau de complexidade que ia na cabeça dela. Talvez o facto de saber o que se passava "fora" do gueto, ter conhecimento da existência dos campos de concentração e, acreditar piamente que não iria sobreviver à guerra (várias vezes menciona Deus, o judeu ou o cristão, alternando estados de fé como de incredualidade), afirmando que "pressentia" algo de mau, a tivessem transformado rapidamente. Anne nunca escreveria as mesmas coisas, as mesmas "banalidades", mas também é um facto que a escrita de Anne é muito mais infantil por comparação e, não nos podemos esquecer que até terem sido descobertos, os Frank viviam num anexo, espaço pequeno, sem saírem à rua, pelo que Anne não poderia nunca ter chegado a ter as experiência que Rutka descreve com um ritmo adulto, alucinante por vezes. A questão política também é importante mencionar. Aos 14 anos Rutka fazia parte de movimentos comunistas polacos, enquanto Anne, nunca tinha frequentado nada do género. Lê-se num ápice (li porque foi um dos livros reservados no part-time e é extremamente "fino") e fez-me pensar na quantidade de coisas em comum eu tenho com ela. O mau feitio, os humores extremos, os amores. Com excepção da guerra, claro, qualquer uma de nós pode ser Rutka e, poderá escrever como ela.

Wednesday, December 01, 2010

O que é que a Independência tem a ver com o meu vencimento?

Uhnnn..... Portugal ganha pouco para os preços que pratica. Acho que alguns de vós (não todos, porque muitos ou são ricos ou fazem compras de 5 euros nos chineses) irão concordar.

2ª Parte

Quando é que, de uma vez por todas, os Humanos deixarão de ser otários e começam a perceber que isto não é um problema à escala "local", mas sim GLOBAL? Quando é que enfiam na cabeça que não é uma coisa dos (ai, como os portugueses gostam de ser pés de chinelo...) "larilas", mas sim também e, principalmente nos dias que correm, dos GRANDES machões lusitanos, com as suas valentes pilinhas em grandes coiboiadas com muitas "meninas"??? Credo.... cambada de anormais.

1ª parte:

Mais valia termos deixado ficar por cá os gajos...
Lamento profundamente termos expulso os espanhóis há "uns aninhos". Possivelmente hoje eu não estaria tão aborrecida como estou. Ou seja, isto de se receber ordenado é muito bom, sem dúvida, mas aposto que não iriam gostar muito em vê-lo desaparecer em 2 dias para pagamentos e contas em atraso, pois não? Bem me parecia.

Tuesday, November 30, 2010

Mulheres actuais, Divas nos Anos 40

Sendo que é bem verdade que a maioria das produções fotográficas nacionais ou internacionais, levam quilos de tratamento de imagem em cima, não deixa de ser menos verdade que "ainda bem que assim o é", senão, de outro modo, eu garanto que este livro de Mário Galiano (fotógrafo nacional a completar 20 anos de carreira) seria uma desilusão. Não que as convidadas sejam feias, nada disso... mas existia um brilho próprio nas mulheres dos anos 20, 30, 40, que as de hoje simplesmente não têm. Somos um bocadinho, vá, temos de ser honestas, ordinárias (no sentido de simples, pouco extravagantes ou originais), muito sem-sal (à excepção daquela imagem um pouco mais abaixo), daí que, é essencial nestas mega-produções haver um toque de Midas, otherwise, we're doomed! Exemplos que não necessitam muito de retoques: Ana Carvalho (Directora da SIC Mulher e Margarida Rebelo Pinto).

Saturday, November 27, 2010

"Não poder mais beijar-te seria declarar inúteis os meus lábios"
Daniel Catalão
Palavras para quê?

Friday, November 26, 2010

Está oficialmente frio... em TODO o lado..

Méééééé!
in: Sapo Fotos

As mudanças de uma vida

Quando comecei a praticar terapia alternativa em Maio passado, duas coisas eram ponto assente na minha vida. A primeira tinha a ver com o facto da pessoa por quem eu nutria afectos, objecto do meu sentimento mais ou menos profundo, nunca vir a saber o que eu sentia ou pensava sobre ela, para não haver o medo da negação/rejeição e, eventualmente ou consequentemente um afastamento muitas vezes associado entre nós. A segunda prendia-se com o facto de eu ter sempre tido como grupo de amigos, rapazes (agora homens) e, não me dar bem com raparigas (agora mulheres) e achar que isso era normal e deveria ser norma para todos os casos. Afinal as mulheres são umas galinhas, invejosas umas para as outras, más, mentirosas e pior que isso cínicas, dizendo uma coisa pela frente e fazendo exactamente o oposto por trás. (A minha opinião sobre o mulherio não se modificou, mas a minha forma de nos ver e de estar entre mulheres, sem dúvida que se alterou). Basicamente estes dois pressupostos base daquilo que eu pensava ser o certo foram alterados. Em Agosto resolvi a minha situação sentimental, que estava já a afectar o meu espaço dedicado à profissão e aos meus pequenos prazeres pessoais e, desde Setembro que comecei sem dúvida alguma a deixar entrar na minha vida várias mulheres (da mesma idade, mais novas, mais velhas) que me têm ensinado muitíssimo. Acima de tudo fazem-me compreender que embora nem todas as pessoas sejam boas (ou más), há sempre algumas que merecem a nossa amizade e respeito, porque mesmo que não nos conheçam, nem conheçam a nossa forma de ser ou estar no dia-a-dia, dão-nos apoio e força necessárias para aguentar quase tudo. Se um homem não chora, a maioria das mulheres que eu conheço, se o fazem, fazem-o recatadamente, sem alaridos, sem dramas, apenas confiando umas às outras, às mais próximas, que são uma espécie de melhor amigO, que não julgam nem opinam (muito), aquilo que lhe pode ir ou não na alma. Lembro-me bem de afirmar categoricamente que aquilo em que eu acreditava não iria mudar e lembro-me da S. (my terapist) me ter avisado que "cuidado, olha que isso vai acontecer". E aconteceu mesmo. Eu estava em crescimento e, com tudo o que me sucedeu ao longos dos últimos quase 12 meses, dei um pulo em termos de força de espírito e carácter. Nem todos/as teriam a minha coragem para enfrentar tantos desafios, alguns diariamente, sendo posta à prova num contra-relógio descarado e, por vezes, muito, tanto, desgastante. Contudo, se assim não fosse, a minha vida não teria mudado, e eu não seria o que sou hoje. Apesar do mau-feito continuar, sou mais calma, consigo ver para lá do que será óbvio, começo a saber ler as entrelinhas e a ter algum jogo de cintura. Acontece que agora noto com muito mais facilidade aqueles e aquelas que continuam encerrados nas suas mentes e espírito, não sabendo lidar com as críticas, nem tão pouco com as outras opiniões, que podem enaltecer ou completar, as suas. Há que saber crescer e deixar os outros crescerem também. Por isso é que a Vida é uma Mudança constante. Num dia estamos cá e, no outro, não.

Wednesday, November 24, 2010

Novela da TVI ganha Emmy!

Será supostamente um orgulho ganhar um Emmy (prémios norte-americanos de TV mundial), mas hoje as críticas que leio em relação a uma das suas protagonistas (Rita Pereira que encarnava a personagem "Mel") deixam-me profundamente irritada ao ponto de me atirar para o ar. Quando me dizem que a rapariga não tem talento, não é inteligente, só tem mamas e rabo (e quem escreveu isto era maioritariamente do género feminino em maioria de idade) porque aparece a falar para um programa (imagine-se que até é de beleza e trapos dos EUA) onde é mencionado o seu mega-decote, é coisa para em ficar com cara de ?. Ahhh e quando têm a desculpa na ponta da língua do "realmente ela não tinha mais nada para dizer senão falar do seu corpo e do vestido, quando Portugal atravessa uma grave crise" mas what a fuck? Então estamos ali acabadinhos de ganhar um prémio, bom, para o país e para a indústria televisiva e queriam que nós antes, durante e após o descurso, na realidade, falássemos sobre a crise que assola o país, sobre o OE que não acta nem desata e com isto menciono o facto de (uns serem filhos de Deus, outro de ninguém quando ontem foi adicionado uma pequena alteração aos não-cortes salariais na função pública), sobre a Greve Geral que hoje meteu-nos semi-parados? A inveja é uma coisa aberrante, mas ultrapassa-me ainda mais o facto de serem mulheres a dizerem mal umas das outras. Era como se dissessem: és actriz? És prostituta.. ou algo pior, porque é engraçado como certas ideias ainda não foram ultrapassadas pela mentalidade portuguesa, ainda para mais, aquela que se diz "intelectualmente superior". Sim, realmente têm razão... os artistas nacionais (SÓ os nacionais, porque toda a merda de fora é ULTRA MAGNÍFICA) são uns chulos e deviam era trabalhar em empregos normais... Ai senhores, não me obriguem a falar mais porque a páginas tantas só começo a dizer alarvidades. Deixo aqui o tiro de mestre, aquilo que eu gosto tanto de ler: quem vê novelas são as donas de casa, as pessoas analfabetas, os trabalhadores rurais iletrados, aqueles e aquelas não possuem uma habilitação literária superior. Porra! Eu não sou dona de casa, eu não sou analfabeta, eu não sou trabalhadora rural (se fosse se calhar escusava de importar produtos de "fora") e, imagine-se, sou licenciada e ainda frequentei um mestrado. Culminando com: VEJO TELENOVELAS E GOSTO!

Tuesday, November 23, 2010

Pronto... não custa nada (é que a mim não custa mesmo) fazer uma apresentação, ou, neste caso, dar uma aula de Geologia Sedimentar a alunos de Engenharia Geológica. O meu receio pendia-se todo com eles ficarem agradados ou não, adormecerem ou não (eu sei que adormeceria porque, já me aconteceu por inúmeras vezes), gostarem ou não, participarem ou não. Foram participativos, compreenderam as coisas minimamente bem (embora para eles um calcário ou um arenito continuem a ser rochas para arrasar), não adormeceram. Foi fixe e agora tenho sono, como seria de prever.

Friday, November 19, 2010

Esta menina tem pouco mais que a minha idade...

... e tirou esta fotografia há milhões de anos atrás. Pensem o que quiserem de mim, mas esta menina tem tudo para poder ser comparada com qualquer uma actriz de Hollywood dos anos 40, daquelas que realmente eram Belas e não aqueles cacos que hoje em dia achamos que são bonitas, embora pesem apenas 30 kilos. Não me perguntem o seu nome, nunca na vida, JAMÉ, vos revelaria, mas homens de Portugal, abram os olhos!!!

Thursday, November 18, 2010

E sim senhora, quando merecem eu digo a verdade...

Embora os jogadores fossem os mesmos (incluindo aqueles que antigamente, no tempo do outro senhor, nem sequer chegavam a pôr os pés no relvado), a equipa que ontem jogou contra a mesma Espanha de há uns meses, não parecia a mesma. Todos perguntavam após o "escândalo" que foi golear o país vizinho (detentor do título Mundial de futebol), por 4(5)-0, qual tinha sido o ingrediente secreto (ora, ketchup, para as memórias mais fracas) ou qual o segredo. O segredo é simples, o segredo é, todos, menos o Queiroz.. Mas sinceramente ontem, se eu fosse um dos grandes que ontem se defrontaram de igual para igual, sem medos, de peito aberto, teria respondido em tom de brincadeira e alguma ironia ao mesmo tempo: "O segredo?? Perguntem ao Paulo Bento!". Foi bonito e um bocado arrepiante de se ver também. Eu gostei e até tive alguma pena de não haver um golo de Espanha, que também jogou bem, campo aberto, para equilibrar a coisa. Mas o resultado é afinal de contas apenas e só para brilho da nossa equipa que se mostrou à altura do acontecimento. Força meninos que assim é que mostramos quem somos!

Wednesday, November 17, 2010

E quer-me bem parecer que...

Mediatismo até e durante o casamento vai haver (e muito!). Duvido é que façam da vida do casal num autêntico Inferno, como foi a vida dos pais dele. E que sejam mais Felizes também. Têm todas as condições para isso e namoram há tempo suficiente para saberem o que podem esperar um do outro. Gosto do facto do anel de noivado ser o da Princesa Diana. Achei um gesto muito bonito.. e realmente, é, tal como William revela, uma forma da mãe estar presente num momento tão especial. Ela, Diana, que adorava os filhos...

Tuesday, November 16, 2010

Facebook Cartoon Chain (14 a 20 Novembro)

Realmente concordo com todos aqueles que acharam a ideia estúpida, desprovida de sentido e sem qualquer objectivo em concreto. Mas ontem à noite (começando durante o dia e com impacto brutal pela madrugada) foi ver 200 contactos do Facebook a mudarem a sua imagem de perfil, trocando-a por personagens de desenhos animados, para "recordar momentos da infância". As correntes são, geralmente, uma treta e, raramente, ou sendo honesta, NUNCA, me meti nisso. Ontem não foi excepção. Para quem sabe qual é o meu perfil no FB, também sabe que durante grande parte do ano a minha imagem de marca é um boneco qualquer, fofo, querido e, não estranhamente, amalucado. Ontem não foi então surpresa quando passei a ser o Monstro das Bolachas... para ser um cartoon, seria a Ariel (a Pequena Sereia) até ter percebido que a Ariel se vestia como se veste a Lady Gaga, o que não me pareceu muito bonito.

Friday, November 12, 2010

Não se aflijam...

Em poucas palavras: reencontrei-me com certas pessoas, defini-me com outras (começo cada vez mais a perceber a presença de algumas Luzes na minha vida), fiquei constipada, já estou melhor, percebo muito mais de interpretação sísmica do que antes e soube que a partir de Janeiro o meu part-time da PT irá para os porquinhos. Estou imensamente animada e quero ver se este fim de semana durmo alguma coisa de jeito, que isto de andar não sei quantos dias a expelir os pulmões noite e madrugada fora não é agradável.

Thursday, November 04, 2010

Lendo pedaços de mim no diário e no blog da fase em que estava a viver numa nuvem cor de rosa, ou seja, estava irremediavelmente apaixonada, é que fico realmente a perceber o efeito de transe em que uma pessoa fica nesse momento da vida. Obviamente que essa paixão toda acaba por se tornar numa coisa mais calma, mais limpa e menos nebulosa e turbulenta, mas giro, giro é vermos à distância como é que as situações se modificam após uma tomada de decisão ou após uma conversa franca e esclarecedora dos sentimentos. Não serei hipócrita dizendo que "ah e tal, acho uma baboseira o amor (...), parecemos todos parvos...", porque sim, parecemos e pior ainda, actuamos de forma um bocado alucinada de forma igual, portanto nunca irei dizer que não acredito, não tenho fé, em paixões eternas. Tenho e acredito. Vivi uma e atravessei duas. Creio cada vez mais que de cada uma das vezes se intensificou a certeza daquilo que pretendo de um Homem e de um Companheiro. Não posso de forma alguma é afirmar que o irei conhecer em breve ou nunca, porque isso não sei. A única coisa que posso aqui escrever é que estava errada em pensar que se o "destino não quer imensas coisas, porque razão eu continuo a insistir", como se fosse uma forma de desistência ou de resignação. Pelo contrário. Se as coisas não acontecerem como nós sonhávamos ou desejávamos, sem dúvidas que outras tantas se proporcionaram em virtude dessas decisões que mudam as nossas vidas. E, devo confessar, que em poucos meses, acabei por ganhar mais do que aquilo que pensei ter perdido, porque na realidade isso nem sequer aconteceu. Ganhei "amigos" novos, ganhei coragem, e acima de tudo, ganhei ainda mais auto-estima e certezas do que quero na minha vida. E o Amor é uma dessas certezas, simplesmente vou deixar andar até que me volte a aparecer em frente. Por agora vou curtindo a Vida, que me parece ser uma coisa, por agora, bem mais gira de se fazer!

Monday, November 01, 2010

3 dias.. 3 míseros dias que podiam ter sido passados de uma forma completamente diferente. Não é que não tenha feito o essencial. Cozinhei, limpei, até fui à rua comprar umas verduras. Mas não li, não ouvi música, não vi nenhum filme que gostasse, não pintei (presumo que não é agora que o vá fazer), e hoje, feriado, estive a trabalhar, que, de certa forma, é uma maneira de estar distraída e entretida. Logs, carotes, profundidades, estratigrafia.
Uma pena estar constipada. Se calhar as noites poderiam ter sido melhor dormidas, sem tosse, nem faltas de ar devido ao nariz entupido. Em contrapartida fiz algo que para as mulheres no geral, tem o seu Q de interesse: alterei a disposição de roupa no meu roupeiro. Verão para as catacumbas, Inverno para a frente; sim porque acho que isto já não tem volta a dar e o Inverno está mesmo a dizer Olá atrás de uma porta qualquer, o filho da mãe.
Sonho com saudade o dia em que estive na Praia Grande, a comer caracóis, apanhando sol na tez que este ano não passou do cor de rosa pálido, e das olheiras até ao nariz. Sim, uma única vez à praia, se bem que aquilo não foi "ir à praia", mas sim, "ir à esplanada". Eram 20.00 e estava a molhar os pés, as pernas e as calças, claro, numas poças enquanto o Sol jazia no horizonte. E foi lindo e mágico porque, ao contrário de outras vezes, em que a humidade e a neblina não o permitem, desta vez consegui ver até o ultimo raio, como se de uma despedida anual se tratasse. E tive sorte porque havia o cheiro a maresia do Oceano e a terra vindo da Serra, magnífica, imponente, onde a Lua (que por acaso estava na fase Cheia), começava a despontar em cada curva da estrada, em cada elevação que nós cruzávamos. Sonho com saudade, principalmente, o calor que senti naquela tarde.. e, admitindo que a imaginação é sem dúvida fértil, acredito piamente que nas manhas de vento, que Outubro trouxe, conseguia sentir o cheiro do mar, em plena estação de comboios do espaço urbano. Não que a distância seja impossível, porque o mar está já ali, basta subir uma rua e conseguimos vê-lo próximo, até, mas porque a Nortada não costuma trazer esses aromas. Fica o registo visual, na memória e na máquina, porque há coisas que eu não quero nunca esquecer.

Friday, October 29, 2010

Tal como eu esperava... nem Lisboa sucumbiu perante as águas pluviais, nem o OE foi (completamente) chumbado. All it's well when we have a completion... =) (uma private tãooo grande que desta vez só eu é que a percebo!)

OH GOD!.. it's raining cats and only one DOG!

Quando decido trazer as galochas pipis, nunca são precisas; quando decido trazer o chapeu de chuva (grande), esqueço-me geralmente dele... Portanto hoje, que motivo teria para vir protegida da mega tempestade que se abateu sobre as nossas cabeças? Nenhum, não é? Pois, bem me parecia.

Thursday, October 28, 2010

Tanta coisa e afinal, agora, neste preciso momento, sinto-me ligeiramente pior. Uma tosse comichosa (alérgica) que não me dá qualquer esperança de se ir embora tão depressa. Uma dor nos músculos da perna esquerda que não me dá posição de estar (nem sentada, nem de pé), uns arrepios que (com o efeito do Cêgripe ingerido há 2 minutos atrás) já se verá se são de febre ou se são devidos ao facto de estar realmente frio. Porque está, não está? Quer dizer, ontem estava eu a chegar ao meu part-time e passei por uma senhora, que descia a rua com a neta, completamente descascada como se fosse ou tivesse regressado da praia: calções e top (qual t-shirt?? Aquilo era um top de alças!). Mas está a ficar frio n'est pas? E estamos na época das constipações maradas (aka constipações que não sabemos se são constipações ou se são outra coisa qualquer), não estamos?
E hoje que a Rita Redshoes vai à Aula Magna e eu percebi a quantidade de concertos próximos que irei perder (devido àquela coisa que muita gente está já farta de ouvir falar=crise): Interpol, Vampire Weekend, Arcade Fire. Vem cá tudo aquilo que eu gostava de ter visto no SBSR e não vi, porque, obviamente, não fui. Mas hoje, só hoje, era a noite da Rita. E eu gostava de ver, mas já não me sinto em condições para isso, mesmo que fosse rica (exagero!) e tivesse adquirido (ou roubado) bilhete.

Onde há fumo, há fogo.

Foto@EPA de Guillaume Horcajuelo

Trabalhadores dos sectores público e privado de Marselha protestam contra a reforma das pensões, numa altura em que greves e manifestações públicas têm tomado conta de toda a França (@SAPO).

Toda a França e não só; Grécia e Espanha também. Portugal é que continua no mesmo marasmo..

Pool

O que acham melhor:
a) sermos comprados pela Venezuela (e por El Comandante)
b) sermos comprados pela China

Wednesday, October 27, 2010

Quem me dera ser como aquelas pessoas a quem as palavras "crise" e "orçamento de Estado" lhes passam ao lado. Aquelas pessoas a quem o aumento do leite e de outros produtos outrora considerados de bens essenciais ou de 1ª necessidade que vão aumentar ao expoente máximo de IVA, não lhes fazem falta ou, não lhes pesa no bolso. Aquelas pessoas a quem o corte nos rendimentos (apoio social, pensões, salários - públicos e, certamente, privados), não lhes vai sequer tocar na pele. Infelizmente não sou como essas pessoas... porque se fosse não viveria em Portugal e certamente não seria portuguesa (mas se fosse, seria um "bocadinho" assim para o egoísta ou milionária).

Gastar dinheiro por gastar...

Então aconselho o Governo a enviar para casa de cada português (vá, com nacionalidade portuguesa, sem olhar a raças ou posições religiosas) um Dicionário da Língua Portuguesa. Porque se de cada vez que leio um blog, geralmente redigido por pessoas que se afirmam cultas e com educação (escolar), encontro erros ortográficos e gramaticais de levantar as mãos aos céus, há alguma coisa que está errada, não?

Tuesday, October 26, 2010

Túnel Gotthard (57 Km atravessando os Alpes)

Agarrado a Santa Bárbara... =)
Celebrações após a abertura total daquele que é agora o mais longo túnel do Mundo. 57 Km de comprimento.

Friday, October 22, 2010

A minha mala a imitar Louis Vuitton... (3 anos de idade)

E depois...

Há aquelas coisas que nos deixam espantados. Conhecem-se pessoas que não estávamos à espera, embora fizessem parte do nosso consciente há já algum tempo e, felizmente, sem nenhum preconceito associado, o que é bom porque nos permite ter um nível de confiança e tolerância bem aceitáveis em relações às mesmas. Eu estou deveras espantada com esta gente que tem chegado recentemente à minha vida, sabendo de antemão que não chegaram por acaso e que, obviamente, não irão entrar no meu coração, só por "dá cá aquela palha". Sei qual o elo em comum, mas também tenho noção que não foi através desse fio que nos cruzámos todos. A empatia nasce com aquilo que nos mostram e aquilo que nós vamos revelando, portanto, sei que muito se deve às minhas brincadeiras, aos meus comentários mais ou menos sarcásticos, à minha forma de ver as coisas. É assim que nos dias modernos as amizades nascem e, se somos adultos capazes de perceber os sinais e as luzes que nos rodeiam, não há nada a temer.

Wednesday, October 20, 2010

Mariana Rey Monteiro (1923-2010)

Coisas que realmente importam...

A Caderneta de Cromos do Nuno Markl e da Patrícia Furtado. Só ontem é que eu (finalmente!) peguei num exemplar da dita, na Bertrand do Campo Pequeno. Folheei meia dúzia de páginas e tive tempo para ler 3 textos que correspondem a 3 cromos. Fartei-me de rir, mas tipo, à gargalhada em plena livraria. Quando leio ou oiço dizer (muitas vezes pelo próprio Markl) que quem nasceu após 1980 não se pode identificar nestes pequenos guilty pleasures, porque não é propriamente dito da década de 70/80, fico com comichões. Talvez porque o meu background familiar jornalístico me tenha dado oportunidade para ir conhecendo alguns factos da história da cultura pop da altura, talvez porque eu, embrenhada nos meus desenhos e pinturas na época de 84 até 89, adorasse os meus bonecos de PVC da Mafalda, Alice no País das Maravilhas (que vinham juntamente nas revistas Maria, Nova Gente, Mulher Moderna daqueles anos), e talvez porque a minha infância, passada entre a minha casa e a casa dos meus tios, fosse vivida frente à TV (também mas não só), vendo o Agora Escolha e papando as séries que passavam por lá, mesmo que na altura não percebesse as legendas (acho que ainda não eram séries traduzidas).
Isso e os filmes do Indiana Jones - não me esqueço que sempre que me queriam mais sossegada do que já era habitual, enfiavam a cassete no vídeogravador e eu ficava em transe, a olhar para o Harrison Ford e seus amigos hindus, uma vez que o filme da saga era o 2º. Portanto, de certa forma, a infância do Markl e de outros da idade dele, não foi assim TÃO diferente da minha, pelo menos em termos de séries e bonecada. É claro que a música não passava de Onda Choc e Ministars, mas, sou honesta, nunca liguei muito ao som... só a partir de 1993 com os Ace of Base, embora desde a adolescência oiça música dos anos 80, a mesma que aliás, tenho como referência base. Stevie Wonder e outros que tais, também mencionados no livro, só aparecerem mais tarde no meu repertório, já praticamente em plenos anos 90, mas nisso admito, nasci em 1984 e não me consigo recordar de tudo. Lembro-me de ter o single Dance with Somebody da Whitney Houston, e lembro-me bastante bem do Sempre que Brilha o Sol, pelo Marco Paulo. Canções do Vitinho eram cantadas aos berros... mas pouco mais do que isso. Tenho ainda um orgão (sintetizador) da Casio, mas daqueles todos XPTO, como se algum dia eu viesse a ter uma grande banda. E é basicamente isto. Agora deixo as imagens daquilo que um dia irei adquirir na FNAC.
Lost by one hundred, lost by one thousand... LOL

Tuesday, October 19, 2010

Monday, October 18, 2010

A diferença entre a China e o Chile é...

Enquanto que no Chile, as pessoas, seres-humanos, INTERESSAM, na China, mais 30, menos 30, mais 1000, menos 1000, não. E se forem do género feminino então, ui... para eles, quantas menos, ainda melhor. (Em relação ao caso do acidente da mina e sua correlação com o que sucedeu em termos de resposta e salvamento e mediatização, no Chile).
Acho que a partir de hoje fui banida de pisar território chinês... oh, que chatice.

Sunday, October 17, 2010

PS - Bati o nº de mensagens do ano passado... oba oba! Um dia ainda havemos de pagar imposto por isso... também.
Sabes que estás a ficar realmente magra quando: todos os pares de calças exigem um cinto; quando as tuas costelas começam a doer sempre que te sentas numa cadeira com "costas" de madeira, porque batem directamente na mesma. Aparentemente não estou a fazer qualquer dieta, continuo a comer de tudo, entre os grelhados, os fritos (que reduzi porque não faço a mínima de como anda o colesterol), os cozidos, a fruta, as verduras, as sopas (tantas, tantas), embora admita que a quantidade é menor. Meus caros, a falta de dinheiro inibe-nos à mesa de comer que nem uns abades, o que é algo tipicamente português e errado. O organismo acaba por se habituar a menos alimento e é claro que isso é reflectido na balança. Que vou jantar hoje? Não sei... presumo que sopinha. Uma sandocha de queijo..., we'll see.

Saturday, October 16, 2010

NOTE TO YOURSELFS:

Quando a Cláudia (EU!) escreve algo aparentemente negativo, mas apressa-se a deixar um LOL! à frente, é porque está a ser irónica... OK? OK...

Friday, October 15, 2010

Não acham estranho...

este blog andar agora tão apolítico?? Ah pois é... querem política vão para o meu Facebook... aqui é só para superficialidades. Cada vez em maior número. Aliás, será um valor directamente proporcional a cada medida drástica do governo.. ao ponto de poder incluir pornografia. Por agora deixo apenas a deliciosa mensagem que Luciana Abreu revelou hoje ao País, numa altura em que o preço de alguns tipos de leite, aumentou:

Thursday, October 14, 2010

Valha-nos Sta. Bárbara!

33 mineiros emprisionados numa mina no Chile. Felizmente estavam num refúgio e felizmente tinham condições para, durante 60 e tal dias, lá se manterem. Fosse Sta. Bárbara (padroeira de uma série de coisas entre as quais, Mineiros e Geólogos) fossem os engenheiros que conceberam a Fénix (cápsula desenhada especificamente para o resgate destes verdadeiros Homens), fosse toda a equipa humana que proporcionou o salvamento dos mesmos, uma coisa é certa: eles já respiram ar puro, já vêem a claridade da superfície... simplesmente nunca deixaram de acreditar na Luz ao fundo do túnel. Brutal!

Sim admito...

Aliás, sim admitimos (mulheres portugueses e jovens, de uma forma geral) que o Albano Jerónimo nos tira do sério no novo anúncio à empresa fornecedora de electricidade, especialmente quando "nos" diz: "Gosto de ti, Amo-te muito, Quero-te tanto...."; ai a merdinha que me dá mesmo um arrepio na espinha (como há já muiiiiiito não sentia)... (Facto: a namorada dele também se chama Cláudia.... uhnnnn). (Ver mais em http://educacaoirracional.blogspot.com/) E aqui fica o vídeo (ver com atenção a partir dos 0.44 segundos): http://www.youtube.com/watch?v=cUsH4WLp60s

Tuesday, October 12, 2010

Coisa mais fofa...

Esta é uma das duas crias que nasceram com recurso à inseminação artificial fora da China. Este Panda recém-nascido é espanholito (OLÉ!) e parece-me bem simpático...

(Foto: SAPO)

Sunday, October 10, 2010

Chegada a este ponto, começo a ter algum receio do que a partir de agora possa surgir. Não é por falta de coragem antes sim por falta de paciência para ter, todos os dias, de enfrentar e ter de resolver uma situação nova que não é, de todo, agradável (agradáveis). Peço a compreensão de todos se por acaso não estiver com grande vontade de aqui escrever algo de substancialmente útil para a humanidade ou se o meu humor estiver em baixo de forma. Pode ser que seja apenas uma fase, mas ao sê-lo, garanto que já se prolonga à demasiado tempo.
Lema do dia: sobrevivê-lo. Cada um. A cada segundo.

Saturday, September 25, 2010

Que não digam: "as estações já nem se sentem.."

Porque o Outono chegou em força e parece-me que o Inverno vai ser uma coisa de "bater os dentes".

Wednesday, September 22, 2010

A sério...

O pessoal anda todo chocado ou ofendido ou surpreso com o que Margarida Rebelo Pinto escreveu no seu cantinho no DN (acho eu que é no DN). A crónica desta semana tinha a ver com as "gordinhas" e "magras e giras" da nossa vida, concluindo o seu raciocínio dizendo que as "gordinhas" deveriam era emagrecer para não "ofuscarem" a presença das "magrinhas" na vida dos homens. De certa forma a exposição baseava-se no facto (verdadeiro) de que as "gordinhas" e portanto não-giras, eram as amigalhonas dos rapazes, as que vestiam de forma mais descontraída, que saíam com eles que até, eram as confidentes deles, sem por isso irem para cama com os mesmos, enquanto que as "magras" e giras, boazonas, se tentassem ter o mesmo comportamento eram vistas como umas oferecidas, umas galdérias, que só queriam ir para a cama com eles. Meus caros e minhas caras. I've been there, on both sides must say. Eu já fui a gordinha, feiinha, amigalhona dos rapazes, a quem eles contavam tudo e com os quais eu podia falar de tudo, sem querer nada de mais com eles, até ao dia, em que me tornei mais feminina e apareci maquilhada num dos nossos imensos jantares. A reacção de um deles foi dizer-me que eu parecia uma prostituta que ia para o engate. A partir de então, os jantares mirraram em número, mas o certo é que agora eu já não sou a amigalhona da galhofa e sim a amiga, mulher que se junta ao grupo, portanto as conversas já mudaram também de tom e, como será óbvio, já nenhum deles se atreve a dizer seja o que for sobre a minha aparência mais cuidada. É óbvio que quando de marias-rapaz nos tornamos mais "meninas" o efeito sobre os amigos é fatal "Mas que raio quer ela? Está a provocar? Está à procura de alguma coisa?". Portanto peço para não se espantarem com a conversa, porque nem está assim tão errada quanto isso, pode é estar, e isso é óbvio, super exagerada, mas nem por isso é falsa. (E sim, muitas das gordinhas que eu conheço, são as que melhor se "safaram" quando comparo com as magras-giríssimas).

Tuesday, September 21, 2010

Ontem "alguém" me deu a conhecer isto.. ou a relembrar.

E eu adorei... ADOREI! (E vou à Carbono ver se encontro Discos (Vynil), sim..DISCOS!)
Senhoras e senhores: Lene Lovich!

Friday, September 17, 2010

Livralhada! (antiga que foi recuperada das prateleiras)

Depois do "Comboio..." vem o "Fala-me de África" (os outros estão em stand-by que não tenho tido muito tempo e/ou paciência para ler), que deu origem à série (que tento acompanhar à risca) Regresso a Sizalinda, da RTP.
E aqui entre nós, depois de vários momentos em transe devido a algumas passagens do livro que acabei de ler, faz-me bem mudar de continente e de história.

Tuesday, September 14, 2010

Não se gosta da Lady Gaga porque...

Ela é excêntrica
Ela é famosa
Ela é rica
Ela tem uma voz do caraças
Ela é bonita (quando não se desgraça com as maquilhagens estranhas)
Talvez não seja não gostar dela, talvez seja, simplesmente, dor de cotovelo. Talvez....

Nadal contra Djokovic (Final US OPEN)

Não achei piada... Principalmente porque não vi o jogo devido à diferença horários entre os Estados Unidos e Portugal (e ao facto do jogo ter sido interrompido devido à chuva durante quase 2 horas). Nadal ganhou, mas viu-se à rasca.. 4 sets, contra um imparável Djokovic que, não duvido nada, daqui a um ano, estará a marcar ainda mais pontos no mundo do ténis. Não gosto do sérvio, mas também não gosto do espanhol, mas gosto menos ainda do suíço (Federer que perdeu assim.. pufff... numa meia-final digna de finalíssima). Do mal ao menos, mas acho que o Djokovic merecia BEM MAIS.

Porque é que os israelitas têm que complicar sempre tudo????

"O ministro israelita do Interior, o ultra-ortodoxo Eli Yishai, não se mostrou nada inclinado a ouvir o apelo da mulher do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu para que não deporte 400 crianças, filhas de trabalhadores imigrantes." in Económico
Sinceramente, se querem expulsar imigrantes, então que o façam no seu todo; expulsar crianças estrangeiras faz-me lembrar o mesmo que os nazis fizeram aos judeus durante o Holocausto. Mas pronto, é a minha ideia e, meus caros, qualquer comparação com o que se passa na França é puro estado de espírito. Não há comparação. Não se pode comparar trabalhadores (e desempregados, muitos) ilegais e respectivas famílias a serem repatriados e, em Israel, expulsarem-se crianças que já nasceram naquela terra, muitas delas filhas de pais que já possuem a dupla cidadania, mas cujas crianças, por qualquer razão burocrático ainda não a têm. Ao menos que o próprio governo de Israel já se comece a mexer dizendo alto e a bom som que aquele país está virado do avesso devido aos ultra-conservadores.

Monday, September 13, 2010

E depois tenho aqueles dias de tristeza profunda, sabendo de antemão que as escolhas que fiz foram as mais acertadas e as mais sensatas, mesmo que me possam deixar um vazio. Mas como o podem fazer se nem estavam para acontecer em 1º lugar?

Thursday, September 09, 2010

Sabem a sensação que têm durante os vossos Domingos e Segundas-Feiras?? Pois é, juntem-nas e ganham as minhas Quintas-Feiras. Quinta-Feira tornou-se, desde Maio, no dia horribillis da minha semana, onde tudo está para acontecer, em suspenso, em amena cavaqueira e alegria e, de repente, tudo desaparece por este ou por aquele motivo, antecedendo mais um final de semana normal, mundano, pequenino. Ainda o dia de hoje mal começou e já sei como vai terminar .... QUERO A MINHA CAMINHA!

Tuesday, September 07, 2010

Carta aberta a S. Pedro

Caro amigo, guardião das chaves e portas do Céu, quero apenas te pedir uma coisa simples: quando fizeres o gentil favor de nos brindares com chuva, fá-lo de forma bem visível e perceptível. Ou seja, não deixes as ruas (passeios, alcatrão, pavimento no geral) em estado miserável de uma pessoa escorregar e cair, ou não conseguir controlar o automovel e provocar assim um acidente. Sê homenzinho e então faz cair sobre nós uma forte chuvada para limpar todos estes polens e pós que ainda serpenteiam pela atmosfera e não andes a cagar os carros com mais lixo do que aquele que eles já têm.
Pronto, era só isso... subscrevo-me, esta tua grande amiga, sempre ao teu dispôr, C.

ERRATA

No post abaixo publicado, em relação às políticas praticadas pelo Governo de Sarkozy, onde se lê "imigrantes do "Magreb"" deve ler-se: "imigrantes da Hungria".

Notícia de última hora!!!

Afinal chegou-se à conclusão, após 9 anos de estudo intensivo do Caso Casa Pia, que as verdadeiras vítimas foram, não as então crianças, mas sim os próprios adultos que, não sabendo ao que iam, foram obrigados a terem relações de foro íntimo com os jovens casapianos tanto em Elvas, como na Av. Forças Armadas (é das Forças Armadas, não é??).
Ahhh e o Ballet Rose é MITO, NUNCA aconteceu...

Desculpem, mas a maioria de Portugal continental é vegan, macrobiotico ou vegetariano não é?

Assim de repente eu acho que 90% dos portugueses são vegetarianos, a julgar pelo número cada vez mais crescente de movimentos anti-tourada que se verificam e manifestam diariamente no território. Portanto, tourada não! mas bifinho de vaca para o almoço com batatinha frita e ovo a cavalo sim...? Uhnnnn... presumo que estas legítimas pessoas saibam que após a tourada o animal ou é ainda volta para o pasto, porque se for bom cobridor dá jeito para uma nova vacada, ou vai direitinho para o matadouro? E do matadouro vai para onde? Ahhh, sim, para os talhos e dos talhos para onde?? Imensas cozinhas, entre as quais, a minha. Desculpem, ou me dizem que são vegetarianos e que só comem bifinhos de soja com cogumelos biológicos, ou então, se não gostam, também ninguém as obriga a verem as touradas. É tão simples quanto isso.

E quem nunca pecou....

Já o disse no Facebook perante uma plateia muito maior, e não fui massacrada por isso, portanto, acredito que ser massacrada por aqui também não aconteça. Eu concordo com a política de imigração de Sarkozy. Se temos um grupo de pessoas que não possui a nacionalidade francesa, que não contribui para o desenvolvimento do país, ou para o seu crescimento económico, que não trabalha (nem quer trabalhar), que não estuda, enfim, que sejam apenas e só, parasitas da sociedade, temos que o suportar? Temos que o deixar estabelecer-se em barracas ou tendas ou acampamentos "tradicionais"? E por favor, não comparem com os "biddon-villes" portugueses porque a situação era completamente diferente. Os emigrantes nacionais que foram para a França, foram trabalhar sim, foram COM as piores condições, foram NAS piores condições e na pior altura histórica, mas é vê-los agora, a maioria não querer sequer regressar para o rectângulo, com boas reformas, com filhos criados e bem empregados, com cursos superiores de fazer inveja a qualquer jovem português, com os netos a terem melhores condições de vida do que alguma vez as futuras gerações nacionais terão. Portanto, se na maioria dos países europeus, as políticas de imigração fossem taxativas, decididas com homens corajosos que não têm medo de represálias, acreditem que as coisas corriam melhor. E não nos podemos esquecer que Sarkozy é, também ele, filho de emigrantes do "Magreb".

Sunday, September 05, 2010

Mas antes de começar a ironizar outra vez...

... e antes de terminar oficialmente a minha silly season, alegra-me saber que outras pessoas encontraram finalmente a sua felicidade, depois de muito tempo de sofrimento, ou de desencontros. (Devia ser sempre assim.)

Ahhhh!!!

Que me parece que a ironia irá retornar em GRANDE à minha vida!

Thursday, September 02, 2010

Mito ou realidade...

Conheci uma rapariga que trabalhava numa empresa. O seu cargo, embora fosse estagiária, exigia alguma responsabilidade e, embora não estivesse segundo um regime de exclusividade absoluta, a sua posição implicava uma certa seriedade. Um belo dia ela decidiu concorreu a um casting de televisão, como figurante para uns anúncios, onde um deles implicava trabalhar com o rosto e cabelo, porque realmente eram ambos uma coisa fora do comum. Não tardou que os colegas soubessem e a apoiassem, até mesmo os chefes e directores de departamento. Ingénua, ela foi ao estúdio, perdeu 1 dia de trabalho, mas o resultado foi compensador. Ficou giríssimo e ela, mais gira ainda. O tal comercial televisivo começou a circular e, todos os colegas a felicitavam pelo assunto, até que começou a morrer por perda de interesse. Yesterday's news are old news. Até ao dia...
Um dos administradores chamou-a à-parte para uma conversa supostamente cordial e simpática. Revelou-se, no entanto, perturbadora: a imagem da rapariga, que poucos (somente os colegas) conheciam, não estava em consonância com a empresa em si e com os objectivos para os quais ela tinha sido destacada. Ser modelo não estava no seu CV e, concerteza não era por isso que ela tinha entrado no estágio, mas sim pelo seu trabalho anterior. Foi imediatamente despedida, sem apelo nem agravo, por falta de ética profissional. A sua imagem prejudicava uma empresa séria, que se queria competitiva e líder do mercado. A sua presença assídua nos intevalos publicitários apenas chamariam a atenção para algo que não era suposto estar associado ao trabalho.
Em resumo: mais vale estar sossegada do que nos metermos em sarilhos, por muito boa que seja a intenção das outras pessoas.

Tuesday, August 31, 2010

E agora dizem vocês...

Vocês dos poucos que por aqui passam: "mas ela agora está armada em Diário de Maria, só com problemas amorosos, roupa e acessórios e cantigas?" e eu respondo: "Sim, está!", porque quando ela escrevia sobre os problemas do país e do mundo e tomava-os às costas como seus, sem poder fazer muito para os resolver, ela não andava nem para a frente, nem para trás. É por isso que ela agora está "armada", para dar um novo fôlego que começava já a faltar.
(E sim, as doenças continuam, se uma "termina oficialmente" vem logo outra substituí-la para alegria das farmaceuticas, sim, as catátrofes naturais continuam a uma escala avassaladora- chama-se a isso Terra a reecontrar o equilíbrio há muito danificado pelo Homem-, sim a crise não vai passar tão depressa em Portugal e as coisas vão ficar ainda piores com o próximo orçamento de Estado... e que querem que eu faça?? Não vou discutir ou argumentar mais estes temas, porque simplesmente, não me apetece.)

OK.. pensemos...

Podemos fazer tudo, mas TUDO MESMO! Na Vida, não há impossíveis, mesmo que assim pareça. Podemos ouvir "não" e podemos ter de dizer "não" muitas vezes, mas temos também de olhar para os lados positivos das situações menos boas. Por vezes, o "sim" só leva, num futuro, a coisas más, que deixam marcas ainda mais profundas. Portanto, mesmo que haja um "não" a meio caminho não quer dizer que nos deixemos abater ou ficar tristes, ou que tenhamos de penar porque tivémos de o dizer a alguém ou a alguma situação. Isto é isto...
Por outro lado, quando dizemos e aceitamos que podemos fazer tudo, esse tudo não implica chegar ao limiar do aceitável e fazer figuras tristes perante os outros, não inclui sermos humilhados devido aos nossos exageros de auto-estima, assim sendo, aqui fica a notícia: eu, que sei bem que aquilo é uma fantochada pegada onde os concorrentes acabam por ser mal tratados mesmo não querendo, mesmo fazendo um esforço enorme para que tudo corra bem e afinadamente (e onde os outros que se estão a borrifar até acabam por passar), irei na quinta-feira ao casting dos Idolos, programa que confesso, nunca ter visto. Assistia aos programas pré-galas porque achava piada ver os desgraçados que lá iam, e, uma vez por outra, os outros que, tendo algum valor carismático/visual/vocal, iam passando às eliminatórias seguintes. Sim, eu, que sempre disse que nunca iria a coisa idêntica, vou à pré-selecção, que poderá servir para vir logo para casa como... enfrentar aquelas 4 personagens surreais que são o júri. E para isso levo comigo uma série de opções musicais que, bem vistas as coisas não são nada fáceis. Aliás, admito mesmo que a decisão final entre 4 de língua inglesa e 2 portuguesas não está a ser nada famosa, uma vez que tenho dias em que as canto na maior, como, outros, (ontem foi o exemplo), em que o tom é errado desde o início e não me consigo entender até acertar outra vez. Não é afinação.. antes fosse. Se fosse a afinação nem me metia nisto, mas os tons que estavam tão bem ensaiados e revistos e vistos (canto isto há já ANOS), começaram a sair mal. Será dos nervos (que isto, mesmo que não queiramos, acaba por enervar) ou do cansaço?? Irei perder uma tarde de trabalho por causa disto, mesmo sabendo que SE passar, EVENTUALMENTE, às proximas fases, não posso permanecer no barco. Será mesmo apenas uma parvoíce minha ou será que estou a testar em demasia as minhas capacidades? Estou realmente confusa com isto, mas mais ainda porque estou com receio da coisa não correr bem.

Thursday, August 26, 2010

1. 2.

E perguntam vocês: mas final qual é o teu "mega" problema??

E eu respondo: nenhum. Na realidade, perto das coisas más ou menos positivas que me vão acontecendo, este nem sequer pode ser considerado problema. É mesmo apenas uma coisa para me deixar aborrecida, irritada, indisposta. Quero ir a Cascais hoje (e ir não é problema, e lá estar não é problema porque fico bem entregue, mas regressar a casa já se torna um problema, porque quem anda de carrinho para todo o lado não faz ideia o que é andar de transportes públicos de noite (e nem de dia, basicamente) e, assim de repente, Linha de Cascais+Linha de Sintra, a partir da 01.30 não me parece boa ideia. Contudo fica a publicidade ao motivo pelo qual eu queria ir e não irei: HOJE, BAÍA DE CASCAIS, 22 HORAS, CONCERTO (ENTRADA GRATUITA), AR DE ROCK, NOVO PROJECTO MUSICAL DE REVIVALISMO PORTUGUES (ANOS 80/90).
Hoje é um daqueles dias em que dá vontade de mandar tudo para o ALTO e dizer BASTA!! (Que é como quem diz, é um daqueles dias em que eu peço mesmo, muito a sério, para me deixarem em paz..) Pode ser que os saldos dos ultimos dias ajudem. TENHO QUE IR A UMA ZARA MELHORAR O MEU HUMOR... já que Cascais está quieto.

Tuesday, August 24, 2010

Em jeito de conclusão...

Eu sou uma afortunada com os amigos que tenho... aqueles que para mim são os mais importantes e os verdadeiros, tenham aparecido há milhões de anos, como há "meia dúzia" de dias.
Hoje eu SOU o Mundo... e se não me conseguirem acompanhar, não faz mal porque isto é certo: nas nossas vidas nada ocorre por acaso e se nos cruzámos neste ciclo, por alguma razão, geralmente bela, evolutiva, terá sido.

Monday, August 23, 2010

E se eu achar que afinal, tudo não passou de uma péssima ideia.. ainda vou a tempo??? Acho que não. Agora é enfrentar o acontecimento de frente!