Saturday, October 24, 2009

Não não!!! Está tudo mal! Uma pessoa não pode fazer determinado tipo de declarações e depois dizer que "ah, afinal foi um pouco excessivo", principalmente quando (ainda que) meia dúzia de pessoas a apoiam de todas as formas e maneiras. José Saramago comete um grave erro ao afirmar: "Foi então que Saramago se desculpabilizou referindo que já tinha admitido o erro: "Já reconheci hoje mesmo numa entrevista que dei que aí me excedi, que não era necessário. Sobretudo porque é bastante gratuito". Após ouvir: "José Saramago trata Deus como filho da "p". Pronto, não gostei, quem não se sente não é filho de boa gente", confessou o padre Carreira das Neves. "Longe de mim a ideia de negar o direito ou a necessidade de leituras simbólicas. Com uma condição: é que essas leituras não eliminem um texto literal. E, aquilo que me parece a mim que a Igreja quer é que não façamos muito caso daquilo que está escrito realmente e entendamos o que estamos a ler de uma maneira normal, que o leitor comum nao chegará a ela e, que até obrigaria à Igreja por ao lado de cada leitor da Bíblia um teólogo para lhe dizer como é que a devia entender", reiterou o escritor." in: http://sic.sapo.pt/online/noticias/cartaz/Saramago+admite+que+insultar+Deus+foi+um+excesso.htm

1 comment:

kameramaninblack said...

«Tu és sobrinho da Esmeralda, que trabalha/ou na Caminho?»
sim, sou. conhece-la?