Friday, May 01, 2009

1º Maio ou dia da revolta popular com tautau ao Pato Bravo do PS

Não sou apologista da violência gratuita, segundo a forma física. Não gostei de ver hoje VM a ser agredido. Devo contudo dizer que o 25 de Abril abriu as portas ao nosso país para termos o pleno direito de nos expressarmos livremente, sob a forma oral, verbal, escrita, imaginativa, artística, etc etc. As palavras são uma luta, sempre! Não gosto do VM, parece-me um troca tintas como todos os outros, mas esquece-se que o PCP não como um (moribundo) PSD. Eles não se esquecem, nunca se esquecerão. E mesmo que não seja directamente a ele, o partido que ele representa merece todos os apupos que ouviu, tanto pelos trabalhadores como pelos jovens que se foram manifestar, porque até esta hora, isso ainda é um direito que nos assiste igualmente. Quiçá se daqui a uns dias as manifs não serão interditas ou se palavras de ordem não irão resultar em ordens de identificação a quem as declarou. Estamos num ponto de ruptura onde até ameaças contra sindicatos já se começam a efectuar. O dia 1º Maio é algo que o 25 de Abril nos permitiu orgulhosamente celebrar.Se a violência verbal for demasiada para alguns políticos, que se sentem ofendidos e perseguidos por alguns grupos políticos, é mau sinal, pois é sinónimo que não estão aptos para resolverem as grandes questões e problemas que aí se apresentam. É lamentável como em vez de nos preocuparmos com o facto de alguém ter levado com garrafas de água em cima, não nos preocupamos com um cada vez maior número de desempregados ou jovens licenciados sem hipótese de trabalho no país onde nasceram.

1 comment:

kameramaninblack said...

o curioso é um partido enviar uma representação sua com elementos que não são seus filiados... que penso que é o caso do vital moreira...