Menina Julia

Quando escrevi o texto sobre esta peça para publicação, não conhecia a história, nem sequer sabia qual seria o desfecho. A sinopse de 5 linhas e o ensaio de impresa que ocorreu depois da data de entrega do trabalho não ajudaram à festa, mas findo o fim de semana e depois de ter aproveitado o Domingo para ir ver a dita, constatei que não me afastei muito da realidade dos factos. A peça Menina Julia, em cena no Teatro Nacional D. Maria II é uma história simples, mas muito bem contada, sobre uma menina de 25 anos, filha de pai rico mas com ascendente de torcer o nariz que, numa noite de São João, se deixa envolver pelo mordomo do pai, João, um rapaz bem apessoado com grandes sonhos para a sua vida e que sabe bem o quer. Ela que tinha a fama, mas não o proveito é feita muito rapidamente na chacota de todos os trabalhadores da casa, que a respeitam somente por ser superior a eles, mas que de resto a desprezam tal como ela os depreza a eles, devido á sua condição (parca condição) social. João, por sua vez não se sente o minimamente interessado pelo ocorrido. O que está feito está feito e ela sabia bem o que queria ou o que andava à procura: "Quem brinca com o fogo, geralmente, queima-se" diz ele depois do sucedido. Cristina, a cozinheira e noiva de Joâo não tem igualmente contemplações. O problema não é tanto Julia ter-se metido com o empregado, mas antes o contrário. Como continuar a trabalhar para pessoas que não se dão ao respeito quando aquilo que todos pretendem é chegar a um status social superior- o status no qual as pessoas que não se dão ao respeito, vivem. Desastrosamente a ideia de fugirem acaba por não ser a melhor e, como João que não se quer vergar ao mundo dos ricos, acaba sempre por o fazer na presença do Senhor Conde, a unica solução para Julia, que nunca se quis envolver com nenhum homem porque assim foi educada pela mãe, uma sufragista radical, não tem outra solução senão a morte. Moral da história: por muito que queiramos ser iguais aos homens, seremos sempre as prostitutas e eles nunca irão olhar para nós com igualdade.

Comments

The Star said…
Já tinha pensado em ir ver esta peça. Quando estive no teatro para ver Esta Noite Improvisa-se, o elenco estava lá em ensaios para esta peça.
Acho que até ao fim de Maio vou mesmo dar um pulinho ao D.Maria II para ver esta peça.

Popular posts from this blog

Como se tornarem numa real bestinha? Perguntem a Gustavo Santos.

Influencer ou being Influenced?