Friday, October 10, 2008

Viva a hipocrisia.

Grande Manuel Alegre: Pode até ter sido meramente por uma questão política para ganhar votos num futuro próximo, mas pelo menos não se acobardou e deu a cara na altura da sentença (leia-se votação) final. Num país que se quer comparar com os grandes da Europa (e sim, porque esses é que são países a sério!), é vergonhoso termos um Governo que quando está em plena campanha eleitoral faz um sem-número de promessas e depois, para as cumprir, está quieto. Andou e ainda anda, uma grande maioria de eleitores atrás de um partido que de rosa não tem nada e sim de cinzento. O único partido europeu que afirma diariamente que a crise económica mundial não nos vai bater à porta, ou se bater, nós não a vamos deixar entrar. Deve ser mesmo por isso, que uma das notícias de hoje é o facto do Fisco ganhar ainda mais poder para começar a vender mais rapidamente as casas penhoradas pelos bancos: quem não tem dinheiro não tem vícios e, se não têm dinheiro para ter uma vida condigna, vão morar para os bairros sociais como todas as outras famílias sem posses- enfim, uma vergonha!
Mas hoje, não estou aqui para falar de assuntos económicos. Hoje estou a falar de um assunto que incomoda muitas pessoas no nosso país. A uns por uma questão de idade, outros por ignorância, outros porque preferem esconder do que sair do armário. E faço-o com todo o devido respeito para com os meus outros webloggers que me costumam visitar, pelos quais tenho grande apreço, e que, tal como eu o faço, peço que respeitem as minhas ideias, mesmo que para vós sejam completamente "pecaminosas"- e vocês sabem quem são ;) . Hoje foi o grande dia para o PS mostrar como é um partido mentiroso, ao negar o direito de casamento aos homossexuais. Realmente, só em Portugal para se ver este tipo de mentirosos políticos e hipócritas. Praticamente todos os deputados socialistas se negaram, à excepção, lá está, de Manuel Alegre, o deputado poeta. A minha antipatia para com o PS vem de longe, acreditando ou não, sou social-democrata (viva o PSL!!), e ultimamente até ando com uns laivos de Partido Nacional Renovador (com tanto criminoso estrangeiro à solta, como o caso do gang da Linha de Sintra, que foi posto em liberdade porque uma galdéria qualquer do Ministério Público se apenou dos meninos, ou como o caso do "Comando" brasileiro de Setúbal, prendem- ou melhor-, tentam prender o Mário Monteiro, porque o senhor não pode ser aquilo que quer ser num país que se diz democrático). Contudo, não é só por crimes como xenofobia e racismo (para mim esses TAMBÉM são crimes) que as pessoas têm que ficar de bico fechado. Ser-se gay num país católico como Portugal, também é crime, crime punível com pais a expulsarem os filhos de casa, a dizerem que para eles o filho/a morreram, com exclusão social, como homofobia nas faculdades, nos empregos, por aí fora. Lamento, e isto agora vem a propósito dos meus ideais religiosos, mas se o homem nasce com o pecado, então deixem-no viver livremente com essa "pena", porque acredito que existe justiça para todos. Não devemos e nem podemos é atirar com poeira para os olhos, e enterrar a cabeça na areia só porque 66% dos portugueses são contra a homossexualidade ou o casamento (civil) entre pessoas do mesmo género. Não nos podemos esquecer também que a maioria dos portugueses já teve relações sexuais com menores de idade, e eu entendo como sendo tal, bebés e crianças até aos 10 anos, bate na mulher e nos filhos e vive como se estivéssemos todos metidos ainda no pré-25 de Abril.
Viva a Hipocrisia e Viva Portugal!

2 comments:

Helga said...

Ao tempo que nao vinha a este blog bisbilhotar. LOL já quase me tinha esqueçido dessa bela coisinha de que ai falas. Acordei cedo nesse dia e foi por mero acaso que soube... o assunto veio á baila no jornal da manha. Ia vomitando porque já sabia no que ia dar, mas lá consegui esqueçer o assunto durante o dia.

Não sei se é bem hipocrisia. Eu acredito é que a maioria das pessoas não se importam com aquilo que não sentem na pele. As minorias vão andar sempre a comer os restos... é triste e não é por isso que se deve deixar de lutar... mas ainda vai correr muito "sangue" até vir o sim.

Há alguns pontos mais metafisicos da nossa legislação que escapam completamente á minha capacidade de integraçao. É daquelas coisas para as quais não encontro razão racional. AFinal aqui a questão do ponto de vista laico é a de dois seres humanos, livres e conscientes formalizarem a sua vontade mutua de assentir num contrato.
A minha questão nem é se sim. Seria mais porque não! Quem é que tem alguma coisa a ver com isso? Não estão a chatear ninguem. Escapa-me. não consigo compreender mesmo.

geocrusoe said...

Já há dias que cá não vinha e estava desprevenido. Concordo parcialmente contigo, há mesmo muita hipocrisia em portugal. Não me choca que um deputado que discorde de algo vote contra, choca-me que numa questão de consciência um partido imponha disciplina de voto e que estes votem contra dizendo que são a favor. há limites para tudo e estes abusaram da cobardia.
Não tenho complexo de apesar de muitos me considerarem de direita (o meu blog é apartidário), considero-me mais contestatário e ideologicamente de centro, mas não tenho complexo em dizer que neste caso votaria a favor. Se um casamento civil é assumidamente um contrato de partilha de vida duas pessoas, porque raio é que o estado há-de intereferir se as pessoas são do mesmo sexo ou de sexo diferente?
Quanto à religião, mesmo como crente no cristianismo, este assume que Deus fez o Homem livre, mesmo para pecar, porque raio hão-de deputados assumidamente laicos fazer o papel de Deus?