Tejo
Percorro o rio com o olhar,
encostado à pedra do cais
contemplando o vogar das sombras devagar...
A névoa distorce as formas
pálidas da luz d'um luar,
da morte da madrugada
que se entrega a divagar
em lenta e penosa agonia
sonhando poder renascer no fim de uma noite fria... Um barco a chegar,
descanso o desejo,
as musas do Tejo regressam do mar..... Num barco a chegar,
descanso o desejo
as musas cansadas de tanto velar... Vejo-me ali sentado
fingindo que estou a pensar,
esmagado pelos sentidos
e um brilho vago no olhar...
esquecendo orgulhos traídos,
ensejos para sempre perdidos...
E fico a contemplar
encostado à beira do cais
o lento mover das sombras
até ao mar...
até ao mar...
(J.M.Afonso)

Comments

Anonymous said…
adoro esta letra! a conheco como uma cançao mas nao sei quem a canta??? e uma poesia originalmente?? desculpa minha ignorancia, mas nao sou portuguesa. descubri esta cancao por casualidade ha uns anos.. e gosto muito da musica e letra. obrigada!!! cumprimentos!!treska

Popular posts from this blog

Como se tornarem numa real bestinha? Perguntem a Gustavo Santos.

Influencer ou being Influenced?