Wednesday, December 26, 2007

Friday, December 14, 2007

Chuva de Meteoritos de Geminia

A não perder hoje/ amanha, pela madrugada fora, a chuva de meteoritos provocada pela passagem do cometa 3200 Phaethon.

Monday, December 10, 2007

Não há titulo para esta entrada...

Frio, dores de cabeça e espirros. Mais uma vez acabei o dia (e acabei-o cedo, pelas 15.00) num hospital. Mas nada de pânico! Não foi nenhuma maleita minha, embora saiba bem que sexta lá terei que ir outra vez... e aí sim, será por minha culpa, minha inteira culpa. A minha vida tem dado piruetas atrás de piruetas, só de pensar nisso, até faz tonturas. Não é mentira que tal facto não me dê algum animo, mas na realidade, passa tudo muito depressa, a correr mesmo, e eu só quero é que tudo acabe por se resolver depressa e, porventura, bem! Tenho esperanças que sim, e quando isso acontecer, com toda a certeza que irei publicar o facto aqui, para que todos os que queiram saber, o saibam de livre vontade, sem ser necessário espalhá-lo, como de costume, aos quatro ventos. Por agora a novidade é: I love you, and you must know what kind of Love I'm talking here. Don't get all stressed up and everything! 'Cause it's bad for you and for me also. But I just can't help it and it's becoming this virus thing, nasty virus indeed! And I just have to let it go, 'cause you'll never gonna make it real, and you'll definitely not going to take it all away!

Tuesday, December 04, 2007

Anatomia de Grey: Drowning on Dry Land (FoxLife)

Mer ressurge à superfície, mas depressa parece desistir de estar à tona de água e pedir auxílio.
Alex Karev continua a missão de tentar acalmar os familiares das vítimas, mas os dados são tão ínfimos que acaba por ser ele a ter a ideia de tirar fotografias a todos os feridos que estão nas urgências, bem como àqueles cujos corpos já se encontram na morgue. George acaba por não descobrir o filho da paciente que necessita da cirurgia e, como tal, mente-lhe (embora diga a Bailey que vai continuar à procura) para que ela seja operada.
Ainda no cais, Izzie continua sem saber como lidar com a vítima que tem entre mãos e a sua última opção e hipótese é ligar para o Chefe Richard de forma a que ele a vá seguindo passo a passo numa cirurgia muito especial: de forma a aliviar a pressão cerebral do doente, ela, com os poucos recursos que tem, terá de realizar perfurações intracranianas. Uma Izzie que só tem observado cirurgias e não tem praticado, ganha a coragem suficiente e com a ajuda dos amigos do paciente embarca na aventura, com um berbequim.
No hospital Cristina começa a estranhar o facto de todas as pessoas regressarem, menos Meredith.
Derek encontra a menina que estava com Mer e pede-lhe para que esta lhe aponte o local onde por último ela viu a namorada do médico. A criança aponta para o mar e Derek sem pensar atira-se à água.
No hospital, Karev tenta saber o estado da grávida que conseguiu recuperar no cais e Addy diz-lhe que ela está estável, assim como o bebé; acaba também por confessar-lhe que se fosse ela própria a estar desaparecida, e não se recordasse de nada ou de quem era, será que alguém iria dar por falta dela? Alex diz-lhe que ele repararia que ela não estava presente e retira-se do quarto.
George e Alex começam a revistar a morgue de forma a encontrar o filho da paciente que está a ser operada. No meio dos corpos deparam-se como uma jovem que também estava grávida. Como na sala de espera das famílias também se encontrava um homem cujo paradeiro da mulher era desconhecido, Alex leva-lhe duas fotografias: uma da mulher que ele salvou, e outra da jovem que morreu. O marido entra em choque assim que vê a segunda imagem.
Derek consegue resgatar Meredith ou o que resta dela. Ao chegar ao hospital todos os internos são chamados incluindo Izzie, que depois de ter realizado a intervenção dentro do barco, em condições completamente estranhas, vê-se novamente possibilitada de realizar procedimentos cirurgicos, e encontra-se a operar o homem que salvou. Cristina também é chamada e é a ultima a chegar à entrada da sala onde Meredith está a ser tratada por Richard, Miranda, Addison e Burke. Sentados no chão um Sheperd completamente arrasado é apoiado por Mark. Dentro da sala de observações Addy olha para o ex-marido e diz a Mer: "Não podes fazer isto.." Cristina entra em pânico; por muitas vezes que tanto ela como Mer afirmaram que são irmãs, que são da mesma família, e Yang nem teve ainda tempo de dizer à melhor amiga que se ia casar. George em desespero afirma que as pessoas morrem ao que Izzie responde-lhe: "I know that. We see people dying everyday in front of us!" Mas também afirma que acredita. Acredita que Denny está com ela todos os dias, acredita que se comer uma embalagem de manteiga e ninguém ver, as calorias não contam, acredita que os maus cirurgiões preferem agrafos a pontos, acredita que, depois de um ano tão horrível como tiveram que vão sobreviver; acredita que por acreditar que eles vão sobreviver, sobrevivem. Acredita que George é um homem que cometeu um grave erro em ter-se casado com Callie e finaliza com o facto de ela ver as coisas boas, ser optimista.
Na sala de observações, o coração de Mer deixa de bater após uma incessante reanimação. Há uma luz branca e... Mer acorda assustada, onde estará? No seu lado esquerdo encontra-se o homem da brigada de minas e armadilhas que morreu durante uma explosão no hospital. Ela pergunta-lhe: "Am I dead", ele sorri e ouve-se outra voz a responder: "Damn right you are!" É Denny, sorridente. A ultima imagem é dos três, com Mer a exclamar: "Holy Sh...!!" (Continua)

Monday, December 03, 2007

Corvos, Terça Feira, às 18.30, Fnac Chiado

101 Mensagens Publicadas!

Há quem comemore datas mais importantes e números mais esotéricos, como o 27, eu, por acaso sempre tive bastante simpatia pelo número 101; não só é uma capicua, como também é o nome de um dos mais incríveis concertos que fizeram história no meio musical dos anos 80 (101- Depeche Mode- Live from Pasadena, Los Angeles), e sempre esteve de uma forma ou outra ligado a algumas passagens na minha vida, quando eu, por exemplo e, por qualquer razão, olhava na desportiva para qualquer número de porta... Também é o autocarro da Vimeca que vai para Tercena (ahahaha!). Anyway, mensagem 101 comemorada na mensagem 102!

Sunday, December 02, 2007

Cozinhar, inventando...

Deu-me para cozinhar, sei lá.. inventar pratos, aprender a fazer qualquer coisa na cozinha que não seja o costume: fritos, grelhados, cozidos, com sal, e água, e pimenta e, às vezes, alho. Tou a enjoar a comida que como há já alguns anos seguidos, e como sou eu quem cozinha e como cá em casa, há que alternar. Tipo, peixe cozido: tou farta de comer peixe cozido, sempre tão.. peixinho sem sal, com batatinhas cozidas e pouco mais. Não é mau, pelo contrário, é saudável e eu gosto de peixe, mas ontem experimentei lombos de pescada com alho francês (porque não me dou com a cebola). Ficou supimpa e acompanhei com puré de batata. Hoje fiz massa tricolor com frango, natas, e salsicha. Só lhe falta um bocadinho mais de sal, que ainda pode ser colocado na panela, mas mesmo assim, ficou saboroso. Há quem diga (a minha mãe) que estou a ser influenciada pelas minhas colegas da faculdade, porque andamos ultimamente a discutir culinária. Por acaso, falamos de comida, não daquilo que sabemos fazer, e eu, que não tenho problemas nenhuns em admitir, não sei fazer quase nada. Não é propriamente dito uma corrida para saber quem faz mais na cozinha, não estamos nos anos 40 para saber quem é a melhor dona de casa, até porque, eu não sou grande coisa nesse aspecto também. É mais naquela dose de brincadeira e mais olhos que barriga. Por exemplo, elas divertem-se imenso a fazer bolos e doces, ora eu não sobrevivo de bolos e outras guloseimas, eu quero é saber fazer mesmo pratos de cozinha. Coisas que eu posso comer (ou que se possam comer cá em casa), e que posso aprender a fazer com relativa facilidade. Não ando a tentar conquistar ninguém pelo estomago, a não ser a mim própria, portanto, tou na fase dos cozinhados. Inventa-se um bocado aqui e acolá, mas o resultado final é que interessa. Que saiba bem, e se possa comer.

Anatomia de Grey: Walk on Water (FoxLife, ep. sexta)

Um dia como qualquer outro, acaba por se transformar num autêntico pesadelo infernal.
Derek dá com Mer enfiada dentro da banheira, totalmente, e pensa que a atitude da namorada é suícida tendo em consideração todas as coisas que ela ouviu da mãe, Ellis. Meredith diz que nada tem a ver, e que nunca lhe passaria pela cabeça pôr termo à vida, embora Derek não acredite muito nas suas palavras. Para ajudar à festa, quando Mer pergunta a uma Izzie extremamente pensativa, porque não pode ser "feliz para sempre", Isobel responde-lhe que ela própria também já não sabe nada, nem em que acreditar mais (para além de admitir que comeu tudo o que se encontrava dentro do frigorífico, incluindo a manteiga).
No hospital, Derek, Mark e Burke are having the time of their lifes quando reparam que Richard, o Chefe, pintou o cabelo. Addison faz-lhes frente dizendo que não é forma de se tratar uma pessoa que foi deixada pelo conjuge. Eles calam-se, mas não por muito tempo. Mais tarde Mark, ao encontrar Richard, diz-lhe que ele precisa de fazer madeixas brancas, de forma a não parecer tão estranho. Addison, por seu mal, confessa que logo a seguir a Derek te-la deixado, ela pintou o cabelo de louro, afirmando que mudar é, por vezes, bom.
Na altura em que os internos estão a fazer as triagens, é recebida a notícia de um acidente de grandes proporções no cais. Ninguém sabe do que se trata, apenas que têm de ir ao local começarem a tratar dos feridos. Cristina fica no hospital, (e bastante arrependida de ainda não ter falado com Meredith sobre o seu noivado). Enquanto isso, Burke dá a Sheperd a notícia, explicando que Cristina não queria que ele o fizesse, enquanto ela não falasse com Mer. Acabam por chegar à conclusão que nunca irão entender as respectivas namoradas, mas na altura aproxima-se Mark, que em poucos minutos, espalha a boa nova, para constrangimento de Yang.
Os internos, juntamente a Miranda chegam ao cais. O cenário é devastador. Um dos ferrys que atravessam as ilhas de Seattle embateu contra um cargueiro, causando uma explosão. Muitas pessoas se encontram feridas e já muitas outras morreram. George, Izzie e Mer não sabem o que fazer, porque nunca passaram por uma situação idêntica. Miranda manda-os ajudarem no que puderem. Karev acaba por salvar uma rapariga anónima, que se encontra grávida. Izzie é chamada para ajudar, dentro do ferry um homem que se encontra preso entre dois automóveis, George e Miranda auxiliam uma mulher que necessita urgentemente ser operada, mas cuja preocupação maior é encontrarem-lhe o filho de 9 anos. Meredith fica encarregue de uma menina que devido ao choque, não fala.
Mais tarde, junta-se-lhes Derek. Aqui a perícia em cirurgia não chega, há que ser médico para todas as maleitas, desde cortes superficiais, a queimaduras de 1º grau.
Aos poucos o Seattle Grace começa a receber os feridos: Addy, Cristina, Richard, Callie e Mark estão a postos para o que aí vem, mas o que os espera será trágico demais.
Izzie continua a tentar ajudar o máximo que pode o homem aprisionado. Os amigos que o acompanhavam começam a desconfiar das suas capacidades de médica, mas Izzie consegue demonstrar confiança necessária para a maioria das acções que efectua. Contudo, o homem tem um episódio de convulsões e Izzie afirma que não pode fazer mais nada por ele, se não for removido debaixo das viaturas.
Meredith vê um homem a sair de dentro de água. Extremamente gelado, apresenta um profundo golpe numa perna que não pára de sangrar. Com a ajuda da menina que a acompanhava, consegue estancar a hemorragia, mas quando tenta embrulhá-lo no seu blusão, ele empurra-a sem sequer ou se aperceber, devido à inconsciência provocada por hipotermia, para dentro de água. A menina vê, mas nada faz, voltando as costas e calmamente deixando o local onde se encontra o ferido.
Sheperd começa a ficar preocupado por não saber de Meredith, assim como Miranda.
No meio da água não há sinais de vida, ou de luta para (sobre)viver... (Continua)

Dia Mundial da Luta contra o VIH/SIDA