Wednesday, April 25, 2007

Isto é aquilo a que chamo de Tolerância religiosa...

O padre da física quântica sobre criacionismo e evolucionismo [da entrevista de ontem na Pública, de António Marujo, ao padre João Resina, físico]«P. - Como avalia que, entre cristãos, se defenda o criacionismo por oposição ao evolucionismo?R. – A maluqueira é livre e uma das grandes tensões do ser humano – que é uma razão de segurança – é agarrarmo-nos a teses de conservação. Em todos os momentos de crise, crescem os movimentos de direita: na Igreja, nunca os seminaristas foram tão conservadores como de há 20 anos para cá.Num momento de crise, toda a gente se agarra ao que parece ter segurança. E uma das seguranças é ter um texto que diz tudo. Tem-se dito que a coisa mais parecida com a Igreja Católica foi o marxismo soviético: tinha uma doutrina intangível, que explicava tudo; tinha um magistério e as pessoas sabiam que, se se dedicassem, era para a salvação dos irmãos. Mas também há uma grande loucura. Quando se faz isso nas igrejas católicas e protestantes e no islão, é a mesma loucura.»Ou«Uma coisa é tentar compreender o universo. Para isso há a física e a biologia. Se quero saber se houve ou não big bang, se a vida evoluiu ou não, não pergunto à Bíblia, não pergunto à Igreja, que não tem competências nessa matéria. A segunda questão é o que devo fazer, como se deve viver para se ser homem. Pergunto à história, às culturas, às religiões. A terceira pergunta é o que me é lícito esperar, qual o sentido de fundo disto tudo. Aí, encontro a questão de Deus.Em suma, questões relativas a como é feito este mundo são da ciência. O sentido da vida diz respeito à religião, à filosofia, às culturas. Nós aprendemos com todas as culturas. Eu, em particular, aprendi e acreditei em Jesus Cristo.»Miguel Marujo

Mais em www.trentonalingua.blogspot.com

OH-MY-GOD!

É mesmo para ser lido OH-MEU-DEUS!! (cá estou de novo a ferir susceptibilidades em escrever o nome de Deus em vão) e não: Oh, Meu Deus!, como se nada fosse... Resumindo estou a entrar na famosa fase bi-anual, Harry Potter filme+livro novo.
Sabendo em primeira mão que os livros desta saga de 7 (número mágico), são uma merda, não devo porém esquecer, que fui das primeiras a ler em Portugal (segundo oferta de editor- Presença) a Pedra Filosofal, anos luz do boom que a colecção iria provocar, anos luz da senhora JK Rowling se tornar numa das mulheres mais ricas do Mundo. E uma coisa, dessa altura, já lá vão uns bons 10 anos, me ficou para sempre guardada: estes livros não são definitivamente infantis. É impossível alguem em pleno juízo pensar que a história de um rapaz de 11 anos, cujos pais foram cruelmente assassinados (e ele também deveria ter sido), e que passou a sua vida desde então, até aquela data, a viver "de favor" com uns tios que o odeiam e o tratam como serviçal, é para crianças. Se mesmo eu, que sou extremamente insensível, quando o li, achei que era demasiado violento no aspecto psicológico, então um miudo de 10 anos, pensará o quê? Bom, remete-nos para a história Esmeralda, lembram-se? A menina dos pais adoptivos não oficiais? A minha opinião sobre tal caso, mudou como a noite para o dia, e se calhar, até nem será tão descabido uma criança de 5 anos, achar determinadas histórias boas ou más. Esmeralda, 5 anos, entende que os pais adoptivos são do bem e que o pai biológico é do mal. Do "Mal"... Conceito deveras interessante para uma menina não acham? Ou será que hoje em dia as crianças nascem já dotadas da capacidade psico-social de adoptarem determinadas posições em relação ao que está correcto e incorrecto? Se assim for, os pais devem limitar-se a darem-lhes alimento e tecto, até amadurecerem o suficiente e tornarem-se auto suficientes. Aí cortam-se os fios e elos entre progenitores e crias e cada um vai para o seu lado. Não, não acho que Esmeralda ou qualquer outra crianças tenha capacidade para distinguir o bem do mal, muito menos capacidade em julgar pessoas. Acho que os pais adoptivos estão-se a tornar num perigo para aquela menina, principalmente por terem passado 5 anos a escondê-la de tudo e todos; acho portanto que uma Esmeralda adulta será incapaz de perceber o mundo que a rodeia, pelo simples facto de viver num mundo afinal, imaginário, desde que nasceu, concluíndo com: o pai biológico teve razão em, mesmo que fosse 1 ano depois do seu nascimento, em reaver a filha. Poderia passar por algumas dificuldades, mas de certeza que não seria mal amada (de outra forma, ele não quereria ficar com ela), e poder-se-ia dizer mais tarde, que era, sem dúvida, uma criança feliz, coisa que na realidade, não é.
Voltando a HP. A minha opinião sobre o 7º e último livro é: não é. Fico com as palavras da Vania, minha ultra amiga: "Claudia, o Harry só pode morrer no fim, porque todas as pessoas que o amam e de quem ele também gosta e sente toda a falta, também morreram. Estão só à espera que ele cumpra o seu destino, para ir ter com eles". Foi um bocado chocante ouvir isto (e só mesmo fans de alguma coisa é que podem perceber), mas até faz sentido. Quando tudo que mais amamos na vida foi perdido, e quando nos confrontamos contra o Mal, se O derrubarmos e mesmo assim, ele nos levar atrás, não é isso que todos esperamos, voltar a ver os nossos?
Aqui fica o mais recente trailer:

Cantina Velha I

Prometo (que jurar é muito forte e pode ferir susceptibilidades), que um dia destes coloco por aqui fotografias do estado deplorável a que as casas de banho, cúbiclos incluídos, Femininas, chegam a atingir à hora do almoço. Cheguei com estas visões à conclusão de que as mulheres são porcas e nunca aprenderam a utilizar o famoso piaçá! PORCAS!!!!

Thursday, April 12, 2007

14 de Fevereiro- Parte II

Faltava o vídeo.. sabem como é...

NIN

I should have listened to her So hard to keep control We kept on eating but Our bloated belly's still not full She gave us all she had but We went and took some more Can't seem to shut her legs Our mother nature is a whore (chorus:) I got my propaganda I got revisionism I got my violence In hi-def ultra-realism All a part of this great nation I got my fist I got my plan I got survivalism Hypnotic sound of sirens Echoing through the street The cocking of the rifles The marching of the feet You see your world on fire Don't try to act surprised We did just what you told us Lost our faith along the way and found ourselves believing your lies (chorus) All bruised and broken, bleeding She asked to take my hand I turned, just keep on walking But you'd do the same thing in the circumstance I'm sure you'll understand (chorus) You got your pacifism - I got survivalism...

E não pára! Dedicado às series de Verão!

Aqui vai a intro da primeira época da série Baywatch (Marés Vivas)... já nem me lembrava que a música era diferente. Mas as personagens estão bem vivas na memória, todas elas mesmo.. e foi muito bom rever o australiano Peter Phelps, conhecido pela série do AXN, Stingers- Infiltrados. No meio de tanta gente, só dois se mantiveram: David Hasselhof e Michael Newman (Newman na série, o único nadador salvador "a sério" que também era protagonista). A juntar à festa, também adicionei a intro da 2ª epoca de Baywatch. As diferenças: alguns dos personagens saíram, e entrou Jeremy Jackson no papel de Hobie. A canção do genérico foi modificada e ficou para sempre...

Friday, April 06, 2007

Mas o que é que os "meus" meninos andam a fazer...

Tendo em conta o nível de educação que o nosso país tem, e o nível cerebral dos portugueses, presumo que os meus amigos Gatitos, estejam numa situação menos amigável. É verdade que somos um país de falar muito e agir pouco, mas com aqueles gajos, nunca se sabe.. o cartaz contudo ficou uma maravilha, mas quiçá se um dia não será a vez dos extremistas da esquerda (algum grupo separatista português que renasça das cinzas), a efectuar uma limpeza ao "cabeças rapadas" que, sabe lá Deus porquê, Portugal também tem. É engraçado.. eles queixam-se dos imigrantes e eu queixo-me deles... A ver bem as coisas, devíamos mandar estes meninos donos de pit bulls e outras raças "puras" de cães, para a construção do prédio, ponte, barragem, túnel mais próximos. Podia ser que gostassem, sei lá! Passem a mensagem ao amigos nacionalistas. Eles irão AMAR! Viva o Iberismo!
DN Os Gato Fedorento estão sob ameaça da extrema-direita por causa de cartaz Inês David Bastos/Vasco Neves (imagem) com JMT Os quatro humoristas dos Gato Fedorento estão a ser alvo de ameaças por elementos da extrema-direita por causa do outdoor que colocaram na praça Marquês de Pombal, em Lisboa, onde se insurgem contra a mensagem xenófoba do cartaz do Partido Nacional Renovador (PNR), que está instalado bem ao lado.As ameaças estão a ser difundidas na Internet, no Fórum Nacionalista (um agrupamento internacional defensor da raça branca) e nalguns casos os seus autores, que se escondem atrás de nicknames, dizem-se dispostos a agredir fisicamente qualquer dos humoristas Ricardo Araújo Pereira, Tiago Dores, Miguel Góis e José Diogo Quintela."Para os felicitar creio que terei de fazer um destes dias uma visita à hora de saída do colégio (...), onde um destes burgueses esquerdistas tem os seus filhos a estudar e assim parabenizá-lo pessoalmente pelo brilhante cartaz", escreve no fórum um nacionalista que se assume como "Nuno NS", da Costa da Caparica. O colégio aí citado é frequentado pela filha de Ricardo Araújo Pereira. Mas as ameaças não se ficam por aqui. "Deviam ser considerados traidores à Pátria e sofrer em conformidade, mesmo usando a violência física (...) Cá por mim não renuncio ao meu direito de ajustar contas com qualquer destes fedelhos", escreve outro nacionalista. Ao que outro elemento da extrema-direita acrescenta: "Plenamente de acordo, a partir de hoje [ ontem] estão sujeitos a qualquer violência"."Não faço comentários mas dei conhecimento do caso às autoridades", reagiu ao DN Ricardo Araújo Pereira.No centro da polémica (e das ameaças) está o cartaz instalado quarta-feira ao final da tarde onde se pode ler: "Mais imigração. A melhor maneira de chatear os estrangeiros é obrigá-los a viver em Portugal" e "Com os portugueses não vamos lá". Uma resposta - que Ricardo Araújo Pereira disse ao DN ser "humorística", embora reconheça poder ter uma "mensagem política" (ver texto em baixo) - dos Gato Fedorento ao cartaz antes colocado pelo PNR no qual se faz apelo ao nacionalismo e se escreve: "Portugal aos portugueses, basta de imigração." "O nosso cartaz é um acto de humor, não é acto político; é uma sátira política, mas não descarto que possa ter consequências políticas", justifica Araújo Pereira.Já José Pinto Coelho, presidente do PNR, disse ao DN estar "agradecido" aos Gato Fedorento "por ter dado visibilidade ao ponto de vista" dos nacionalistas.

Monday, April 02, 2007

www.APAV.pt

Este fim de semana ocorreu mais uma vez um caso de maus tratos. Este, contudo passou a ser do conhecimento público. Gostava de saber de todos os outros que o não são. Ou seja, aqueles que estão a ocorrer precisamente neste momento. Tanto de homens a baterem em mulheres e vice- versa. Porque não? A violência conjugal passa por ambas as partes, embora seja a mulher o elemento mais fraco neste jogo de quem é o "mais forte" ou de "quem manda lá em casa". Até compreenderia se estivessemos em terras muçulmanas, sendo que mesmo assim, não acreditam que os países do médio oriente tenham o mesmo tipo de comportamento macho latino ressabiado, que os nossos "homens" têm. Se alguém me disser que o caso da jovem estudante de 21 anos a residir em Benfica não pode entrar para as estatísticas nacionais, é tolo. A questão não é a nacionalidade dela, ou do grojesso que a atacou. O que importa é que em Portugal e volto a frisar este assunto (quantas vezes me apetecer), os casos não param. Não aumentam nem diminuem, pura e simplesmente nunca deixam de acontecer. Maus tratos infantis então.. nem se fala. O preconceito antigo de que o homossexual e o pedófilo é que eram os principais responsáveis por esse tipo de "coisas feias" em crianças, está um pouco ultrapassado não acham? A partir do momento em que se conhecem casos dos próprios pais (mãe e pai), a efectuarem tais acções, que noção de família queremos nós passar para os nosso filhos, para as gerações mais novas. Acho que hoje em dia vive-se num clima de terror. Acho que hoje em dia a raça humana está completamente alterada. Falam dos cães da raça pitbull? Pois eu acho que a raça humana é que foi geneticamente modificada nos últimos anos. Que confiança posso eu ter em amigos de longa data? Os mesmos com os quais cresci e aprendi bastante? Nenhuma. Tenho a mesma confiança que tenho em pessoas que conheci há poucos dias ou meses. Por isso dizem que sou problemática, que vejo desgraças em todo o lado. Como poderia não ver? Basta ver as notícas na televisão (essa caixinha mágica que veio abrir os olhos do mundo) e ler os jornais, para não me deixar de decepcionar com o Homem e com a pouca Humanidade que apresenta. A rapariga está no Hospital de Santa Maria... Bastante mal tratada...
www.apav.pt