Saturday, March 31, 2007

Porque não há memória de noite igual

e porque a Odete Santos (Ode(n)te) apesar de ser uma grande senhora, porque o é!, é às vezes, hilariante.. só que desta vez excedeu-se. Para mim, o melhor foi a desconfiança com a mala. Tê-la no colo durante toda a noite, foi obra... a comichão na mamoca e o dente são fait divers!

Thursday, March 29, 2007

Podem não acreditar, mas...

a hora de Verão, desta vez, tem sido mais difícil de aguentar? Será porque na realidade o relógio astronómico está a girar mais rápido que é costume? Hoje diz-se que o tempo passa muito depressa, mas também é verdade, que as responsabilidades são muitas e os afazeres ainda mais e, que não há tempo para tudo. Mas no meu caso, em que a monotonia e rotina diárias são uma constante, k=1, também sinto o tempo a passar como um cavalo. Acordo e passado um bocado já é hora de almoço (acordo às 06.30, 07.00 da matina), o Sol parece dar a "volta" (bater o meio dia e começar a descer em rota de colisão com o horizonte) mais depressa, embora os dias se tornem, apesar de tudo mais longos, devido a uma maior incidência de luz, mas quer queiramos, quer não, o solstício da Primavera, está a ocorrer com um adianto de dias, todos os anos. Pode não fazer qualquer importância, mas faz... Gostaria de saber se existe alguma explicação astrofísica para este fenómeno. Mas quem sou eu também: sempre a queixar-me; se estamos no Inverno, é porque estamos e os dias tornam-se mais curtos, se estamos no Verão, é porque estamos e os dias parecem passar apesar de tudo, mais rapidamente. Não há quem me ature... Mas voltando à hora de Verão, este ano há quem ainda não se tenha habituado, mesmo as pessoas mais velhas, ainda não se habituaram. Eu ontem, por exemplo, estive o dia inteiro com sono. Fiz a aula de campo com sono, adormeci no autocarro que me trouxe de volta ao Campo Grande, adormeci durante a tarde e princípios da noite no sofá e, não contente, assim que cheguei à cama e me virei, devo ter capotado, porque não me lembro de nada. E continuo com sono... Mau mau!

Sunday, March 25, 2007

Pareceu-me perfeito para o dia que ocorre...

Portanto assinala-se hoje o Cinquentenário dos Tratados de Roma com a adopção da Declaração de Berlim, ou seja a fundação da União Europeia... Não podia deixar de estar mais de acordo com a data de hoje, (a letra da canção que se segue), muito embora o escudo já não exista, pelo que peço, leiam Euro na altura certa.

Europa

Eu quero ser um cidadão da Europa

Ser Português é tão foleiro

Podem-me chamar euro-saloio

Ai quem me dera ser estrangeiro

Eu quero ter um telemóvel

Mesmo que seja oco por dentro

Poder telefoner de qualquer lado

Dar pála no engarrafamento

Aaah Europa

Seja feita a tua vontade

Aaah Europa

Eu também quero uma oportunidade

Não sou mais que um caso pontual

No vasto tecido europeu

Eu sei que nasci em Portugal

Mas com Bruxelas sonho eu

Eu quero fazer férias na neve

Poder esquiar o ano inteiro

Mas só porque a Europa

Não tem o sol do Rio de Janeiro

Aaah Europa

Seja feita a tua vontade

Aaah Europa

Eu também quero uma oportunidade

Sinto-me um elo na cadeia

Estrela amarela em fundo azul

P’ra quê dizer que é bacano

Se quero dizer que é “bué da cool”

Eu sei que vou ter muito que penar

Aprender alemão e françês

Só alivio quando no banco

Não tiver nem um escudo português

(Ritual Tejo)

.....

Porque só mesmo estando debaixo da influência de estupefacientes (ou estupidificantes) é que uma pessoa se põe a olhar para o relógio do PC (LOLOLOL, pvt joke) à espera de ver a mudança de hora....

Cá estamos na Hora de Verão!!!!

Tá quase quase...

Tá quase....

Saturday, March 24, 2007

Esta é a nossa máquina de lavar roupa...

Como se pode ver está um bocado corroída pela bela da ferrugem, mas, a marca diz tudo: OEIRAS, que para além de ser um concelho assim assim, afinal também calha ter o nome de uma das melhores marcas de electrodomésticos nacionais. Acho por acaso que já nem existe, mas enquanto durar e torcer bem a roupa, já não é mau. Só é bastante aborrecido quando a meio do programa (único e lento) se lembra de parar, pára pura e simplesmente, é preciso ir lá com a mão dar-lhe um "toquezinho". Também existe um fogão, mas não está em exposição cá por Queluz, esse é mais para os lados de Mafra.

Em vez de estar a suspirar pelos cantinhos.. (ai ai e ui ui)

Foi com enorme espanto (OHHHHH!!!!) que há dias vi o (im)possível acontecer, a zona Norte da Costa a ser invadida por umas águas cada vez mais selvagens do mar. Muito sinceramente chocou-me pelo simples motivo de saber que aquela área nunca mais vai ser a mesma, porque a extensão de areia que tem sido reduzida ao longo dos últimos 50 anos (provavelmente mais, mas na altura não se sabia ou não se ligava), não vai voltar ao lugar certo e, porque, mesmo que se efectuem obras de protecção costeira, será apenas isso: obras de protecção costeira, para prevenir novas invasões pouco amistosas de um reservatório terrestre, que tem tendência para aumentar o seu nível médio. Sendo assim, eu, que não sou assim tão velha para não me recordar do que tinha que andar até alcançar água da Costa da Caparica, fico com a ideia de que em menos de 23 anos, tive a oportunidade de ver uma zona costeira portuguesa a desaparecer. Mas sabem mesmo mesmo o que é o melhor disto tudo (e atenção, estou altamente irónica)? Check this out: "O Governo vai autorizar a construção de 30 mil camas turísticas nos 50 quilómetros da costa alentejana que ligam Tróia a Santo André. Apesar de se implantarem numa zona com valores naturais essenciais que o Estado português é obrigado a preservar, o Governo garante que os projectos são sustentáveis e vão avançar. Para a Quercus, estas estimativas são baixas. E o panorama agrava-se se a estas camas se somarem mais 45 mil em projecto para o litoral até ao Algarve. O mais grave é o que pode vir, alertam os ambientalistas. Ou seja, o precedente que se abre com a aprovação destes mega empreendimentos, alguns com sete mil camas. "Se não somos capazes de conter a construção dentro de uma zona prioritária como a Rede Natura 2000, como o vamos fazer fora dos sítios especiais de conservação e impedir que a costa fique toda ocupada?", questiona Dário Cardador, da Quercus. "Depois vai ser difícil dizer não."O que vai surgir no Sítio Rede Natura Comporta Galé - uma classificação atribuída pela União Europeia para zonas especiais de conservação da natureza- ainda não foi definido. Isto porque os projectos não estão todos aprovados, estando uns numa fase mais avançada do que outros. Para ter um panorama global, o Ministério do Ambiente analisou a faixa que liga Tróia a Santo André e estimou a capacidade que esta zona sensível tem para acolher projectos de turismo. Estes dividem-se por seis áreas de desenvolvimento turístico, já previstas no Plano Regional de Ordenamento do Litoral Alentejano. E que, no total, segundo as contas do Governo, não chegam a afectar nem 2% do total do Sítio de Rede Natura. A Quercus faz uma leitura diferente destes números que, aparentemente, até podem ser considerados como de impacto pouco expressivo. E põe a questão de outra maneira: "Se há alternativa, porque não se constrói tudo fora da zona protegida?" Em causa estão os empreendimentos previstos para Tróia, Comporta, Praia do Carvalhal, Melides e Santo André. Projectos que, ao longo dos anos, sofreram vários ajustamentos e reduções, nomeadamente em relação aos índices de construção. Nalguns casos, os projectos em curso têm pouco ou nada a ver com as propostas iniciais.Pinheirinho e Costa TerraPara o ministro do Ambiente são dois projectos que marcam um novo paradigma de desenvolvimento turístico. Para o primeiro-ministro, que fez questão de marcar presença na sua apresentação, o "melhor que o País tem para oferecer". A verdade é que só estes dois empreendimentos Pinheirinho e Costa Terra, somam um terço das 30 mil camas no sítio protegido Comporta-Galé.O Costa Terra recebeu ontem mais uma visita de Estado. Os ministro da Economia e do Ambiente foram assistir ao lançamento da primeira pedra e à entrega do alvará de construção pela parte da Câmara Municipal de Grândola, que tem lutado pela implementação destes projectos no seu território. "Tenho muita honra e orgulho em participar neste evento. Estes projectos não afectam habitats prioritários, e os não prioritários são afectados de forma mínima. O Alentejo fica a ganhar e a costa alentejana também", afirmou o titular do Ambiente Nunes Correia, de manhã, aos jornalistas.Dos projectos previstos para o Litotal Alentejano, destaque para Tróia, que deverá ter o centro de conferências, o hotel casino e a marina prontos na Primavera de 2008. As obras da Herdade do Pinheirinho já começaram. Na Comporta, está tudo ultimado para apreciação pela Comissão Regional do Alen tejo. Na Vila Formosa (Vila Nova de Milfontes), os problemas terminaram com a adjudicação do projecto a um grupo português." Rita Carvalho com Márcio Alves Candoso no DN. Palavras para quê? Ontem, durante o jornal da noite da SIC também vi uma reportagem fantástica sobre a utilidade dos monumentos históricos ou do património nacional, no que diz respeito ao nosso quotidiano. E garanto que ver uma igreja (ainda bem conservada) a fazer de estacionamento ao Banco de Portugal, bem como local de cargas e descargas, é uma imagem linda... Eu só imagino o que pensarão os turistas que por aqui andam. Bom.. é bem provável que o mesmo aconteça lá fora, pelo menos é uma forma de impedir que os mesmos edifícios sejam destruídos. Contudo, não há desculpa para noutro caso também falado sobre uma capela no coração de Lisboa, o Instituto Português do Património não dar autorização para a remodelação e construção de um hotel. Da maneira como o edifício está, não tarda nada, acabará por ruir, e cá entre nós, vai ser na mesma construído um hotel, apenas não com a mesma fachada com que este projecto inicial, estava idealizado, mas sim, com outra completamente descaracterizada. É o país que temos.. por isso a palavra eurosaloio, que só há dias me relembrei, nunca calhou tão bem.

Saturday, March 17, 2007

Feliz Dia de São Patrício

Ao pessoal maravilhoso (e tarado!!) que conheci dessa terra mágica chamada Irlanda, entre os quais, uma pessoa que mudou bastante a forma de eu gerir os meus sentimentos, um grande beijo e um FELIZ FERIADO NACIONAL!!! Top of the morning 'ta ya....!

Reboot ao meu sistema

Este fim de semana resolvi fazer um reboot ao meu sistema emocional. Nos últimos tempos percebi que estava a ficar com as ideias um pouco baralhadas e que tudo estava a ficar nublado e confuso. Felizmente, ontem à noite e especialmente hoje, percebi que as coisas nem sempre são como gostaríamos que fossem e, às vezes, ocorrem coisas menos boas (e não más), que vêm por bem. Pelo menos acordei de um transe ao qual já não estava habituada a sentir e, sinceramente, nesta altura da minha vida, não precisava nem tenho tempo para sentir. Pode parecer grave, ou seja, fechar as portas a outros sentimentos é negativo, mas não quando isso nos pode fazer mal de outras maneiras. E eu sou uma pessoa muito dada a cair em tentações (ahahahahah). Portanto, espero, segunda feira estar de novo operacional a 100%, mesmo que me custe os olhinhos da cara. By the way: Primavera sucks big time!