Friday, February 23, 2007

Tou em pânico

Eu fui avisada. Eu fui avisada por pessoas que me conhecem há já imensos anos e que sabem desde sempre como eu depois fico, aliás, no estado lastimoso em que fico, e fui avisada por quem nem me conhece assim tão bem, a não me meter por caminhos completamente e literalmente desconhecidos. Às vezes é giro, tudo bem, mas se fosse há uns anos (poucos) atrás, até fazia mais sentido. Eu não fui feita para me atirar em aventuras, muito menos se estão relacionadas com pessoas, mas é mais forte que eu e, tenho quase a certeza de que me irei mais cedo ou mais tarde, me arrepender em GRANDE de ter feito o que fiz... mas tudo bem, hei-de me erguer de novo e voltar à monotonia e tristeza a que a minha vida, desde há 3 anos para cá, se habituou a ter. Não há-de ser nada.... (yeah, right)

Wednesday, February 21, 2007

É oficial...

Tou a ficar outra vez badocha, ou gordinha. Estive na casa fixa dos 70 kilogramas para 1,67 metros de altura, sendo que depois de uma dieta restrita aplicada desde o início do Verão até ao Ano Novo, emagreci até aos 66 kilogramas. Desde que comecei a época dos exames, consegui aproximar-se vertiginosamente dos 70 outra vez, não querendo portanto, amanha de manha olhar para a balança. Mas também, a comer dois pães por dia, estava à espera do quê? Preciso de voltar a emagrecer, saudavelmente. Ou seja, preciso de voltar a beber quase 5 litros de água por dia. Meninas (e meninos) acreditem ou não, funciona mesmo....

Ai Meu Deus...

Segundo todos os jornais de hoje (21 Fevereiro 2007), os EUA pensam mesmo, mas mesmo mesmo, em atacar o Irão. Agora é que se deve dizer, só AGORA é que se deve dizer: God bless America...

Tuesday, February 20, 2007

Só porque é Carnaval, ninguém deve levar a mal??

Por acaso o ditado "É Carnaval, ninguém leva a mal" deveria ser aplicado quase todos os dias à realidade nacional. Ah ah! Não, não estou a falar do arquipélago madeirense, porque, como ontem na Sic Notícias ficou bem esclarecido, o palhaço-mor (como os continentais o gostam de chamar) só é eleito há já quase 30 anos (27, mais precisamente), porque o povo é quem mais ordena, e não, propriamente dito por lá existir uma polícia política secreta (porque os continentais ADOOORAMMM inventar). Estou a falar da realidade continental mesmo. Do fechar de urgências e maternidades todos os dias, da abertura de clínicas privadas, onde nem todo o Zé Povinho, pode ir ou entrar. Dos cortes orçamentais e do apertar do cinto. Parece-me contudo, que estas medidas políticas radicais e, pelos vistos, menos boas, são exactamente a base da qual os portugueses vêem no Eng.José Socrates um santo redentor. Sim, ele realmente faz e toma as medidas mais anti populistas que alguma vez se viram desde o 25 de Abril. E todos reclamam, mas adoram também. É muito ténue a linha que separa o Odio do Amor. Mas, como todos os dias é Carnaval no nosso "piqueno" país, ninguém leva a mal. Eu, por acaso, levo. Não me recordo de quando nasci e ao longo destes últimos 23 anos, ter assinado um contrato para ser uma marioneta nas mãos de pessoas que não me conhecem, nem tão pouco, sejamos honestos, estão com o puto interesse de me conhecerem. Se sou mais uma cidadã com problemas, tenho é que comer e calar, porque isto está mal para todos. Se sou mais uma cidadã que por acaso é estudante do ensino superior a quem retiraram a bolsa de estudo e a redução parcial de propinas, que remédio tem senão pagar tudo, num sistema de ensino, que segundo a constituição portuguesa, deveria ser gratuito, o facto da cidadã não pagar as propinas, arrisca-se a ter o cancelamento da sua matrícula. Se a cidadã, não conseguir encontrar emprego na sua área de estudo, tem que se limitar a trabalhar com recibos verdes durante um período de 6 meses a 1 ano, podendo depois, sem qualquer justificação, ser despedida, ou se não está bem, pode sempre beneficiar das empresas de limpezas de escada. Que também é uma profissão digna. E se alguma vez, passar na cabeça da cidadã, ficar grávida, é só passar pelo estabelecimento de saúde mais próximo que lhe fazem logo o servicinho, sem mais delongas, exactamente para não haver cá subsídios de alimentação e ajuda de berço. Pois, realmente eu não me lembro de ter assinado esse contrato, mas parece-me que é um pré-requisito de Portugal, para qualquer pessoa que por cá nasça ou viva. Portanto, para além de quando tinha 8 ou 9 anos, ter ficado encharcada até aos ossos por uma brincadeira estúpida de balões de água, por não gostar de palhaços e, muito menos de máscaras, não me parece justo dizer que lá por ser Carnaval, ninguém leva a mal.

Sunday, February 18, 2007

"Buraco do Ozono" e Aquecimento Global.

As alterações no sistema Atmosfera-Oceano também podem ser induzidas pela actividade humana. Existem hoje em dia tantas pessoas (aproximadamente 6 biliões) e as nossas actividades são tão invasivas, que os humanos tornaram-se numa parte importante da evolução física e química do planeta por inteiro. As alterações por nós provocadas não estão limitadas pela construção de prédios, barragens e autoestradas, assim como, pela destruição da vegetação natural de florestas e planícies; estamos também a alterar a composição da atmosfera em formas que podem afectar o clima global e até mesmo o nosso futuro enquanto espécie.
A história recente do sistema Atmosfera-Oceano, envolve modificações químicas criadas pelo Homem. Tanto uma, como o outro, estão a ser poluídos com produtos e por produtos da nossa indústria moderna e práticas agrícolas. Por exemplo, os fluorcarbonatos (CFC's usados como refrigerantes) atacam e destroem moléculas da camada do ozono na estratosfera. Até mesmo as quantidades mais pequenas de CFC's que são lançadas, modificam o balanço de Ozono diminuindo a sua quantidade e aumentando a área de perda, criando um efeito de "buraco", em ambos os pólos (por serem as regiões "achatadas" do planeta). O buraco do Ozono ocorre e desaparece consoante as estações, tornando-se mais evidente/ profundo, durante o Inverno, quando a produção de Ozono é naturalmente mínima. A destruição do Ozono estratosférico, aumenta a quantidade de raios UV que atingem a superfície terrestre.
O clima global é baseado na energia proveniente do Sol, espalhando-se de forma desigual pela superfície. Porque o calor é concentrado no Equador e difundido nos pólos, a circulação planetária ocorre na Atmosfera. Os ventos formam-se pela deriva atmosférica, sendo essenciais na circulação oceânica superficial, apenas com interferência dos continentes. A circulação profunda é elaborada através de diferentes desnsidades provocadas pelas quantidade de sal e temperatura. Em resposta, o movimento das águas no oceano modera as diferenças de T (Temperatura) no Globo. As diferentes zonas climáticas são o último resultado destas variações e têm um impacto óbvio em todos os aspectos do sistema hidrológico e da sua interacção com a litosfera (parte rígida da crosta terrestre, ou seja, da camada mais superficial da Terra). O seu papel na evolução da vida e espécie humanas não deve, pois, ser subestimada.
As alterações climáticas globais, provocadas pela actividade humana é um assunto importante a nível político e científico. Queixas e contra-argumentos abundam no debate político, sobre a realidade de um possível aumento da quantidade dos gases de efeito de estufa na Atmosfera, sobre qual a sua origem e sobre o aumento consequente de T. Do ponto de vista científico, os factos são bastante reais e pouco hipotéticos. Existem pelo menos seis pontos fundamentais para a interpretação do "efeito de estufa":
1. O Dióxido de Carbono na Atm absorve calor radiado da superfície e prende-o na troposfera. Sabe-se que existem determinados gases que absorvem a radiação segundo comprimentos de onda específicos dependendo dos átomos moleculares e do seu tipo de ligação química. Aos gases que aborvem a energia e, como tal, aumentam a T atmosférica, dá-se o nome de "gases com efeito de estufa".
2. As concentrações de CO2 têm vindo a aumentar desde 1800. A 1ª evidência veio directamente de medidas realizadas à composição atmosférica. Desde 1958, amostras regulares mostram que a concentração de CO2 aumentou de 315 a 360 ppm. Por outra via, através da extracção cuidada de bolhas de gás presas em gelo glacial, estendemos as medidas até várias centenas de anos atrás. Em 1700, o conteúdo de CO2 na Atm, mantinha-se a um nível aproximadamente constante de 275 ppm, mas aumentou para 360 ppm, nos últimos 250 anos.
3. O carvão, petroleo e gasolina (todos combustíveis fósseis) queimam a lançam CO2 para o ambiente sob a forma de um sub-produto.
4. O aumento de CO2 provém directamente da queima de combustíveis fósseis, não da emissão de gases vulcânicos, ou de outras fontes naturais. Este facto é revelado pela composição isotópica do carbono no ar.
5. A utilização de combustíveis fósseis aumentou drasticamente desde 1800 não só porque a população mundial também aumentou, bem como devido à Revolução Industrial.
6. Existe um consenso científico de que a T global aumentou 0.8 ºC, nos últimos 100 anos.
Interpretações: Pode-se afirmar, de uma forma genérica, que o aumento de CO2 atmosférico, provoca um aumento da T global do planeta, podendo esta estar também condicionada pelo aquecimento através dos gases de efeito de estufa.

Saturday, February 17, 2007

Dia dos Namorados aka 14 Fevereiro aka todos os dias são bons dias para namorar...

Oficialmente os Cd's Perto de Deus, Histórias de Amor e Mar e Três Vidas desceram de divisão, estando desta forma descatalogados. Ou seja, se alguém quiser comprar algum CD da banda portuguesa Ritual Tejo, deve somente contentar-se com o último lançamento [89.01], pois os outros deixaram de, literalmente, existir, por falta de vendas e por falta de novas edições por parte das respectivas editoras. Viva o panorama do mercado musical nacional, que dá protagonismo a bebés de fraldas, muito ao estilo FF, entre outros que tais. Aqui fica a letra de uma canção dos antiquíssimos Ritual, intitulada Só Palavras:

Se te dissesse o que sinto

muito ficava por dizer.

Se eu pudesse

dava-te a lua e o sol também.

Tudo o que a boca falar pode nem ser o melhor para se dizer.

A nossa paixão não se explica, só se sente...

acredita-se sem se ver.

Para quê falar, afinal são só palavras, ouve o bater do meu peito.

Um só olhar pode dizer tanto... acredita no silêncio.

Se eu falasse do que sinto

pouco mais diria amor.

Se a boca mente

o coração não mente a ninguém.

Respira em silêncio este sonho bom e deixa-te embalar.

A nossa paixão não se explica, só se sente

e cresce sem se ver.

Para quê falar, afinal são só palavras, ouve o bater do meu peito.

Um só olhar pode dizer tanto... acredita no silêncio.

Nuno Flores I

Começarei pelo fim, porque por agora, é-me mais fácil lidar com a situação actual. http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=231255&idselect=218&idCanal=218&p=22
Ou seja, o que importa é que, de uma forma ou de outra, ele esteja melhor, embora ainda não haja certezas de nada.

Não me consigo controlar ou calar com isto.

Ontem à noite, depois de mais um dia merdoso de temporal atmosférico e familiar (avec mãe), tive ainda a capacidade de soltar um gritinho histérico (como me chamou indirectamente a pseudo jornalista Fernanda Cancio) quando vi que hoje no Top + iriam passar uma entrevista com o Trent Reznor (NIN). Aqui fica o link da reportagem do jornal Público: http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1285403

Para M.

Nos teus olhos castanhos, encontra-se o outro lado.

O lado das coisas boas

O lado onde a Terra é mais bela e as flores têm mais cor.

Agora que o Verão vai chegando,

de mansinho,

quero-te só para mim, sem tabus

ou ressentimentos;

Tocar no teu corpo e penetrar na tua alma

Até sermos uma única chama,

Brilhando no infinito dos tempos,

até à exaustão do Universo.

E vindo o calor da estação,

dormindo abraçada a ti,

percorreremos os mundos em câmara lenta,

sorvendo cada imagem como água purificadora.

E no teu cabelo revolto, verei a espuma do mar

E as ondas que nele se formam, enrolando-se

como fios nos nossos dedos.

E os meus dedos percorrem o teu corpo

e os teus o meu.

Mil sensações indescritíveis.

Uma paixão que não nos é possível viver.

Mas tu és um deus,

e eu tua escrava.

Por isso nos amamos até ao impossível. Até que tudo seja insuportável para nós

E os nossos corpos cedam à exaustão.

Então olharei para os teus olhos,

E verei tudo de novo.

(Datado de 2002 ou 2003)

Thursday, February 15, 2007

Anatomia de Grey

Pelos dois últimos episódios que passaram pelo canal Fox Life, da série, Anatomia de Grey, cheguei à conclusão que ser-se médico, e no caso específico, cirurgião, não é, realmente para todas as alminhas que conseguem atingir a média dos 19 ou 20 valores durante o ensino secundário. Os episódios revelaram que uma das personagens, Isobel Stevens (protagonizada por uma estrondosa Katherine Heigl, conhecida do público português da série Roswell), atingiu o extremo de dedicação a um paciente. Claro que a sua história pessoal é exarcebadamente dramática. Izzie, como é conhecida pelos colegas aka amigos aka família, e pelos médicos residentes do Seattle Grace Hospital, nasceu e cresceu numa roulotte, num estado sulista dos Estados Unidos, ficou grávida aos 16 anos dando o bebé posteriormente para adopção, tornou-se gira demais para passar despercebida, posando para uma marca de lingerie de forma a pagar os estudos e formou-se numa prestigiada universidade em Medicina, conseguindo uma vaga num programa de Cirurgia na cidade do Leste americano. Contrariando um espírito cinzento e chuvoso da mesma cidade e do grupo composto por ela juntamente com Meredith Grey (que andou um tempo obcecada com a sua pseudo relação amorosa por um dos chefes), Cristina Yang (obcecada em ser a melhor em tudo, sendo por isso, demasiado fria e bruta com os pacientes), George O'Malley (querido demais para não o pensarmos gay) e Alex Korav (o bruto do grupo, em termos masculinos), será Izzie que tenta animar sempre os espíritos, refugiando-se na cozinha, especialmente na feitura de bolos ou queques. É ela que irrita todas as pessoas com o espírito natalício, com o Dia de Acção de Graças, com todos os feriados municipais e religiosos, mas também é ela que dá verdadeiras dores de cabeça, quando se envolve demais, emocionalmente, com os pacientes. Só tendo-o visto um par de vezes, conseguiu a proeza de se apaixonar por Denny Duquette, numa relação que não só poderia estar condenada pelo factor médico-paciente, bem como pelo estado de saúde dele. Para quem não viu ou para quem ainda não viu o episódio, prepare-se para grandes emoções. Izzie ultrapassa os limites da ética em nome do amado e o resultado final, depois de tudo o que foi feito, não poderia, contudo ser mais trágico. É com uma Isobel a dizer: "I thought I could be a surgeon but I can't, so I quit" que termina a sua participação na 2ª época de Anatomia de Grey. O resto ainda está para vir em Portugal, mas a nova temporada já está a dar nos EUA. http://abc.go.com/primetime/greysanatomy/index

O dia dos Namorados aka 14 Fevereiro parte II

Marketing. Uma forma das floristas, casas de artigos de decoração e casas de prendas, facturarem um pouco mais. Como não tenho ninguém, porque, bem diz o ditado, mais vale só que mal acompanhada e isto serve para uma ou duas pessoas aí do mundo cibernautico, para mim é um dia de se escutar canções de amor e canções de mal dizer do género oposto. Cá vai mais uma... Break Me, Shake Me- Savage Garden - I never thought I'd change my opinion again, But you moved me in a way that I've never known, You moved me in a way that I've never known. But straight away you just moved into position again, You abused me in a way that I've never known, You abused me in a way that I've never known, So break me shake me hate me take me over, When the madness stops then you will be alone, Just break me shake me hate me take me over, When the madness stops then you will be alone. So your the kind that deals with the games in the mind, Well you confuse me in a way that I've never known,You confuse me in a way that I've never known. So break me shake me hate me take me over, When the madness stops then you will be alone, Just break me shake me hate me take me over,When the madness stops then you will be alone. She says, "I can help you, but what do you say?" But it's not for free baby, you'll have to pay. You just keep me contemplating, that your soul is slowly fading… God don't you know that I live with a ton of regret? 'Cause I move you in a way that you've never known, But then I accused you in a way that you've never known, But you hurt me in a way that I've never known... Break me shake me hate me take me over,When the madness stops then you will be alone. Just break me shake me hate me take me over, When the madness stops then you will be alone… Listen, baby…You'll be, you'll be alone … Break me shake me hate me take me make me, Fake me break me shake me hate me take me, Break me...

Escolha de horários.

Hoje, foi de dia de escolha de horários do 4º ano. Ninguém pode imaginar (ninguém que faça parte do curso de Geologia) a emoção que é escolher os horários. Sempre na ânsia de se saber quantas turmas sobram, quantas vagas nas turmas práticas, se os grupos ficam todos juntos ou não. Eu, pelo menos, por ser polivalente e um bocado burra, pois hoje a minha escolher recaiu sobre turmas de anos anteriores, já nem tenho desses problemas. O melhor horário para mim, é o horário onde ficarei. É difícil concilar um horário e turmas práticas diferentes, com uma aula de campo às quartas feiras, por exemplo, mas posso pensar que é desta vez que ficarei perita em cartografia geológica já que as disciplinas são: Campo I (realizado na nobre zona saloia de Loures,- e não há mal nenhum nisso, porque é zona do Complexo Vulcânico de Lisboa-, Geologia Estrutural, Geomorfologia, Geomatemática (isto é que já é pior), Métodos Estatísticos (está a piorar mesmo) e Matemática II (ou Análise Matemática, cuja minha turma prática irá ter como professor, Jorge Buesco). Como se pode ver, parece muito complicado, afinal são 6 cadeiras, mas olhem que o meu horário até fica porreiro. Portanto, já não faz sentido, o acordar quase às 05.00, para se colocar o nome numa lista de chegada, para somente às 11.00 se começar a efectuar a chamada para inscrições e escolhas de turmas. Mas já fiz isso, por duas vezes, no 1º ano. Desde lá, já a cabeça me doeu muito. Mas aconselho a todos vós que estais no mundo universitário a observarem o ritmo aluciiiinante que é a escolha. Adora-se e chora-se por mais...

Wednesday, February 14, 2007

14 de Fevereiro

"We're In This Together"- Nine Inch Nails - I've become impossible, holding on to when when everything seemed to matter more. the two of us, all used and beaten up watching fate as it flows down the path we have chose. you and me we're in this together now none of them can stop us now we will make it through somehow you and me if the world should break in two until the very end of me until the very end of you. awake to the sound as they peel apart the skin, they pick and they pull trying to get their fingers in. well they've got to kill what we've found, well they've got to hate what they fear, well they've got to make it go away, well they've got to make it disappear. the farther I fall I'm beside you, as lost as I get I will find you, the deeper the wound I'm inside you, for ever and ever I'm a part of you and me we're in this together now none of them can stop us now we will make it through somehow, you and me if the world should break in two until the very end of me until the very end of you. all that we were is gone we have to hold on, when all our hope is gone we have to hold on, all that we were is gone but we can hold on. you and me we're in this together now none of them can stop us now we will make it through somehow, you and me even after everything you're the queen and I'm the king nothing else means anything

Foi uma pena, mas não pude mesmo ir...

Ou melhor, poder até podia e devia mesmo ter ido, porque o exame de Computação realizado ontem, teria corrido na mesma tão bem, como se eu não tivesse ficado em casa (tou para aqui com coisas, mas depois ainda passo ao raio da disciplina). Mas sim, foi uma pena não ver pessoalmente, ao vivo e a cores Trent Reznor e amiguinhos em palco durante 3!!!! noites seguidas no Coliseu. Fico-me com as imagens de telemovéis duvidosos de qualidade terrível e com as memórias de quem foi, gostou e queria mais. Passado um ano daquele que foi para mim um dos melhores concertos (bom, eu até hoje também vi poucos), DM, fiquei bastante decepcionada avec moi même por não ter pelo menos, tentado ver Nine Inch Nails em Lisboa. Mas, se tudo correu tão bem como se diz, pelos vistos, na próxima digressão europeia, eles voltarão a dar a fronha por cá. Pelo menos foram inteligentes o suficiente de começaram numa das pontas da Europa e não fazerem como muitas outras que depois dizem que Lisboa fica fora de mão. Ao que determinadas bandas ganham, peguem mas é nos jactos e aviões privados e tragam as bundas e resto do cabedal até nós, até porque é publico que lhes paga as contas ao final do mês. E já agora, façam o favor de dar o litro em palco, porque foi o que os NIN fizeram, e fizeram muitíssimo bem.

Passado quase um mês, muita parra, pouca uva!

Sabem qual é o resultado de misturar vários anti histamínicos no nosso corpo? Sou eu, no dia que corre...