Monday, April 02, 2007

www.APAV.pt

Este fim de semana ocorreu mais uma vez um caso de maus tratos. Este, contudo passou a ser do conhecimento público. Gostava de saber de todos os outros que o não são. Ou seja, aqueles que estão a ocorrer precisamente neste momento. Tanto de homens a baterem em mulheres e vice- versa. Porque não? A violência conjugal passa por ambas as partes, embora seja a mulher o elemento mais fraco neste jogo de quem é o "mais forte" ou de "quem manda lá em casa". Até compreenderia se estivessemos em terras muçulmanas, sendo que mesmo assim, não acreditam que os países do médio oriente tenham o mesmo tipo de comportamento macho latino ressabiado, que os nossos "homens" têm. Se alguém me disser que o caso da jovem estudante de 21 anos a residir em Benfica não pode entrar para as estatísticas nacionais, é tolo. A questão não é a nacionalidade dela, ou do grojesso que a atacou. O que importa é que em Portugal e volto a frisar este assunto (quantas vezes me apetecer), os casos não param. Não aumentam nem diminuem, pura e simplesmente nunca deixam de acontecer. Maus tratos infantis então.. nem se fala. O preconceito antigo de que o homossexual e o pedófilo é que eram os principais responsáveis por esse tipo de "coisas feias" em crianças, está um pouco ultrapassado não acham? A partir do momento em que se conhecem casos dos próprios pais (mãe e pai), a efectuarem tais acções, que noção de família queremos nós passar para os nosso filhos, para as gerações mais novas. Acho que hoje em dia vive-se num clima de terror. Acho que hoje em dia a raça humana está completamente alterada. Falam dos cães da raça pitbull? Pois eu acho que a raça humana é que foi geneticamente modificada nos últimos anos. Que confiança posso eu ter em amigos de longa data? Os mesmos com os quais cresci e aprendi bastante? Nenhuma. Tenho a mesma confiança que tenho em pessoas que conheci há poucos dias ou meses. Por isso dizem que sou problemática, que vejo desgraças em todo o lado. Como poderia não ver? Basta ver as notícas na televisão (essa caixinha mágica que veio abrir os olhos do mundo) e ler os jornais, para não me deixar de decepcionar com o Homem e com a pouca Humanidade que apresenta. A rapariga está no Hospital de Santa Maria... Bastante mal tratada...
www.apav.pt

1 comment:

Patrícia said...

Curiosamente, ontem, enquanto falava com uma colega minha de trabalho falava-lhe de uma criançinha que passou no telejornal que foi violada e disse que se apanhasse o homem à frente, a minha vontade era "esfaqueá-lo". Qual não é o espanto, quando ela me diz: "Ai Patrícia, eu até tenho vergonha do que lhe vou dizer: mas esse sujeito é meu primo."

Mundo pequeno, hein?